Diario do Sul
Twitter rectangular

Sociedade

Utentes da Cáritas de Beja vão produzir produtos para refeições de carenciados

Fonte: LUSA

27 Março 2015

Toxicodependentes e alcoólicos em recuperação na comunidade terapêutica e beneficiários da Cáritas de Beja vão produzir produtos agrícolas para serem usados na confeção de refeições que a instituição fornece a carenciados no seu refeitório e cantina social.

Os géneros alimentares vão ser produzidos através de um projeto da Cáritas e num monte situado no concelho de Beja onde funciona a Comunidade Terapêutica Horta Nova, a resposta social da instituição para tratamento e recuperação de toxicodependentes e alcoólicos.

O projeto “Horta-Nova Esperança” visa dar formação e competências na área da agricultura aos utentes da comunidade terapêutica e a outros beneficiários da Cáritas de Beja, como desempregados e pessoas em situação de exclusão e vulnerabilidade social, explicou Márcio Guerra, da equipa gestora do projeto.

Através da formação, os utentes e beneficiários vão adquirir competências, que irão pôr em prática na criação e dinamização de uma horta numa área de cerca de cinco hectares no Monte da Horta Nova para produzirem produtos hortícolas, frutícolas e ervas aromáticas.

Os produtos serão depois usados na confeção de refeições que a Cáritas de Beja fornece a carenciados no seu refeitório e cantina social, onde, em 2014, foram servidas 58.838 refeições, indicou.

Por outro lado, as competências adquiridas na formação serão certificadas e poderão ajudar os beneficiários a encontrar emprego na área da agricultura e, desta forma, a reinserirem-se na vida ativa, frisou.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.