Diario do Sul
Twitter rectangular

Petição entregue no Parlamento

Professores da Zona Sul contestam ”municipalização na educação”

05 Dezembro 2014

O Sindicato de Professores da Zona Sul (SPZS) acabou de entregar na Assembleia da República uma petição com cerca de 13 mil assinaturas contra o processo de municipalização da educação, garantindo que o processo está a ser conduzido de forma “quase secreta pelo Governo em conjunto com algumas autarquias”, segundo avançou ao “Diário do Sul” o sindicalista Manuel Nobre.Recorde-se que a passagem de competências das escolas para as autarquias vem sendo contestada pelos professores, lamentando Manuel Nobre já estarem em marcha diligências para que em 2015 alguns municípios avancem com experiências com base no novo modelo.”Os docentes têm estado à margem do debate sobre o assunto. Professores pais e encarregados de educação deviam integrar este debate, porque diz respeito a todos”, sublinha, garantindo que “o estado está a promover desigualdade entre municípios grandes e pequenos”, alerta o dirigente.A organização curricular e pedagógica das escolas e a gestão do pessoal docente são algumas das competências que, de acordo com o SPZS, seriam assumidas pelas câmaras. Porém, ainda de acordo com Manuel Nobre, ao abrigo de um designado coeficiente de eficiência os municípios terão direito a receber um prémio financeiro superior a 13 mil euros anuais por cada docente dispensando dos “estimados como necessários” pelo Ministério da Educação.A petição continua a ser subscrita nas escolas e espera agora ser debatida em plenário parlamentar. A FENPROF também já fez chegar ao Ministério da Educação o pré-aviso de greve, agendada para 19 de Dezembro, dia da realização da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC).

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.