Diario do Sul
Century 21

Política

PSD revoga acordo de governação em Almodôvar com PS, que fala em “vingança”

O PSD revogou o acordo de governação que tinha com o PS nos órgãos autárquicos de Almodôvar, alegando que a atitude dos socialistas a nível nacional impedirá a colaboração local, mas o PS diz tratar-se de “vingança”.

04 Novembro 2015 | Fonte: LUSA

Nas últimas autárquicas, em 2013, o socialista António Bota conquistou a presidência do município, no distrito de Beja, ao PSD, mas sem maioria absoluta, liderando um executivo composto por dois eleitos pelo PS, dois pelo movimento “Independentes por Almodôvar” e um pelo PSD, a quem atribuiu pelouros, no âmbito de um acordo de governação então estabelecido entre socialistas e sociais-democratas.

Dois anos depois, a decisão do PSD de revogar o acordo já teve como efeito o chumbo do orçamento do município para 2016, na passada sexta-feira, em reunião de câmara, com os votos contra do vereador do PSD, Ricardo Colaço, e dos dois eleitos pelo movimento “Independentes por Almodôvar”.

Em comunicado, o novo presidente da concelhia do PSD, Fernando Palma, explica que o partido decidiu revogar o acordo porque “o comportamento e a atitude política do PS a nível nacional deverá impedir qualquer estratégia de colaboração do PSD” com os socialistas “também a nível local”.

Fernando Palma refere que a revogação também se justifica por, em 2013, o anterior presidente da concelhia social-democrata, Ricardo Colaço, “não ter negociado com rigor e exigência o acordo” e por o PS “não ter cumprido, até à presente data, os objetivos eleitorais a que se propôs, não demonstrando capacidade e competência para governar, assistindo-se a um concelho estagnado e sem estratégia”.

Os factos de o PSD “estar a ser arrastado para esta situação, sendo cúmplice da gestão socialista” e de o acordo não ter sido validado pela distrital de Beja nem ratificado pela Comissão Política Nacional do PSD são as outras razões apontadas pela concelhia para a revogação.

Pela parte do PS, o presidente da concelhia, Duarte Sousa, mostra-se preocupado “com o facto de o cenário político nacional se estar a transformar num jogo e numa prioridade para o PSD local, em detrimento dos habitantes de Almodôvar e da estabilidade no concelho”.

O acordo foi estabelecido entre PS e PSD “em prol da estabilidade municipal e do concelho de Almodôvar e tem sido respeitado, na íntegra, por ambas as partes”, mas, devido a “problemas internos no PSD”, “assistimos à tentativa de criação de instabilidade por parte do ´novo' PSD local, que vem agora dar o dito por não dito junto do vereador Ricardo Colaço, a pessoa que em conjunto com o PS assumiu compromissos para este mandato”, refere Duarte Sousa.

Duarte Sousa lamenta que o orçamento municipal para 2016 tenha sido chumbado com o voto contra do vereador do PSD, mas espera que “os compromissos assumidos” entre PS e PSD para o atual mandato “possam continuar a ser respeitados e cumpridos” e que o orçamento possa ser aprovado na próxima reunião de câmara extraordinária “a bem da população e do desenvolvimento do concelho”.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.