Diario do Sul
Portugal2020

CDU apresenta candidatos às doze juntas de freguesia do concelho de Évora

“Programa pragmático assente em ideias concretas para melhorar a vida das populações”

Uma forma diferente de poder autárquico. É este o compromisso assumido pelos candidatos da Coligação Democrática Unida (CDU) às juntas de freguesia do concelho de Évora. Sete dos 12 candidatos garantiram aos microfones da “Rádio Telefonia do Alentejo” que há diferenças na sua gestão, lembrando o trabalho que foi feito nos últimos quatro anos. A interlocução com todos, o apelo à participação na vida cívica foram dois argumentos que puxaram para si mesmos.

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção Diário do SUL

28 Setembro 2017

A CDU é considerada por quem se submete a sufrágio como a força que garante a sustentabilidade das propostas que emanam do 25 de abril. Asseguram ter propostas, ideias, projetos e um coletivo de gente voluntariosa com capacidade de trabalho. Tudo em prol de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. Todos os candidatos estão convictos da vitória, salientando que após as eleições, e quando tomarem posse, quem fica a gerir a autarquia estará aberto para todos os munícipes, quer tenham votado ou não na CDU. A reposição das freguesias foi apontada como um objetivo de que dizem não desistir.

Joaquim Mendes, candidato à União de Freguesias de São Vicente do Pigeiro e São Manços afirmou que a sua intenção é proporcionar o bem-estar às pessoas de acordo com o inventário das necessidades que realizaram, conseguindo dar respostas sociais adequadas. As propostas que destacou de entre muitas foi a vontade de querer melhorar a água da rede pública, gradualmente, e o apoio ao centro de dia no sentido de trabalhar em parceria para a construção do lar. “Temos que melhorar os arruamentos em ambas as localidades. A saúde não pode ser esquecida, daí apostarmos na dinamização de programas de saúde bem como na criação de mecanismos para a redução das listas de espera, sempre com a missão de sensibilizar para comportamentos para uma vida saudável”, frisou. Olhando para São Manços, o candidato anunciou a intenção da CDU criar um espaço para memória futura da arte da forcadagem, recolhendo o espólio que está em casa dos forcados.

Também a candidata à Junta de Freguesia de São Miguel de Machede, Florence Melen, evidenciou a necessidade de apostar na preservação da identidade das gentes desta terra. “Esta freguesia tem potencialidades humanas, culturais e ambientais. É sobre a falta de desenvolvimento destas potencialidades que assenta o nosso programa eleitoral”, sustentou. Para esta candidata, “uma junta não é apenas expediente. Como tal, queremos intervir ao nível social com a conclusão do centro de dia para um bem-estar à população idosa e na construção de um espaço condigno desportivo para os jovens”. Construir uma oficina para fazer pequenas obras de reparação com vista a ajudar os mais idosos é outra das prioridades. Em termos urbanísticos, realçou a requalificação das ruas e caminhos rurais e a fixação dos jovens com a continuidade de construção dos loteamentos. “Dar um contributo para o dinamismo económico através do incremento do turismo através da vila romana das Courelas da Toura” foi outro dos compromissos indicados.

Fortunato Valentim, candidato à Junta de Freguesia dos Canaviais avançou que a grande missão da candidatura da CDU é “responder às necessidades que esta freguesia tem. É muito importante não esquecer que se trata de um polo em desenvolvimento, começando a ter vida própria, deixando de ser apenas um dormitório de Évora”. Perante isto, o candidato criticou o facto “da atual gestão não ter resolvido nenhum dos problemas da freguesia como o saneamento básico”. A utilização dos transportes públicos para unir a freguesia à cidade, a requalificação do saneamento básico e melhoria das vias viárias e pedonais, melhorando a segurança rodoviária, as parcerias com as associações no sentido de intervir na comunidade, proporcionando melhores condições de vida são outras das estratégias.

Cláudia Silvano, candidata à Junta de Freguesia de São Bento do Mato considerou que esta freguesia tem um potencial económico, ambiental, urbanístico e cultural que pode contribuir para cria emprego e gerar riqueza para uma boa qualidade de vida. “Contudo, a governação socialista tem posto uma regressão económica”, acusou. Face a isto, garantiu a necessidade de melhorar as instalações do jardim-de-infância e da escola do 1.º ciclo. “Esse processo já começou com a ajuda dos pais. Um modelo participativo que é o modelo que queremos”, justificou, acrescentando a intenção de criar uma oficina de apoio domiciliário e a requalificação da praça Morgado Torres que “tem um projeto aprovado na Câmara”. A promoção dos produtos gastronómicos locais, “que são únicos”, é outro dos objetivos para criar um centro que valorize e preserve estas tradições.

José Russo, candidato à União de Freguesias da Malagueira e Horta das Figueiras, assegurou que a CDU quer dar continuidade ao trabalho que tem sido feito, “ouvindo as pessoas para ter uma intervenção mais assertiva”. Lembrou que esta força política trabalha em coletivo, justificando a transversalidade das suas propostas. “Queremos resolver os problemas”, frisou. Olhando para Évora considerou que “é a capital do distrito, mas também de todo o Alentejo. Encontramos a nossa cidade cheia de turistas, logo há que saber rentabilizar isso sem perder a nossa identidade e sem cair em exageros”. O candidato salientou a necessidade de preservar o espaço público para que este possa ser usufruído, acreditando que isso será possível se houver um envolvimento do movimento associativo. Quanto ao bairro da Malagueira, da autoria de Siza Vieira, “é identitário da nova arquitetura, acrescentou cidade à cidade e, agora, que cumpre 40 anos precisa de intervenções, sobretudo quando está pensado poder vir a integrar a lista de património da Unesco”.

Gertrudes Pastor, candidata à União de Freguesias de Bacelo e Senhora da Saúde, defendeu um projeto que una a cidade, que valorize as especificidades de cada freguesia, proporcionando bem-estar a quem aí vive. Deste modo, a candidatura resulta da responsabilidade que “estes quatro anos nos dão e as palavras de incentivo que recebemos. Há um compromisso com as pessoas neste caminho de mudança. Tudo isto só é viável com a participação de todos”. A candidata afirmou que, perante esta situação, é visível a necessidade de dar continuidade e melhorar o que já foi feito. “Estamos em condições de afirmar que vamos fazer requalificações no espaço público, ligar o centro aos bairros limítrofes por acessos pedonais e ciclovias. Na área da cultura manter e reforçar a dinâmica que incutimos, de braço dado com as associações”, vincou. E acrescentou: “A educação é o futuro, temos que preparar um futuro melhor e isso consegue-se na escola”.

Nuno Cabrita, candidato à União de Freguesias de Évora, considerou que “o centro histórico é um território único na cidade. A principal preocupação é que não pode ser considerado como joia da coroa, nem visto isoladamente. Ambicionamos um espaço vivo, com pessoas”. O candidato defendeu que a CDU quer ver mais além, referindo que a cidade de Évora não é só o centro histórico, defendendo que deve haver ligação com os bairros. “Além disso, este mandato será o estreitamento das relações das escolas com o centro histórico, estando prevista a requalificação da Escola de São Mamede”, frisou. Afirmou ainda que os estudos que foram feitos permitem agora à CDU fazer obra, salientando: “a melhoria dos circuitos pedonais; a fruição dos espaços verdes; dar atenção à habitação para assegurar as condições mínimas de habitabilidade da população, sobretudo da idosa”.

Por fim, todos os candidatos apelaram ao voto, considerando que este é um direito, mas também um dever que deve ser exercido no próximo dia 1 de outubro.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.