Diario do Sul
Twitter rectangular

Autor deu a conhecer a obra na Rádio Telefonia do Alentejo

“E tu, queres ser FELIZ?” é a pergunta que Pedro Rocha e Melo faz no seu primeiro livro

Foi no Dia Internacional da Felicidade, assinalado a 20 de março, que Pedro Rocha e Melo esteve na Rádio Telefonia do Alentejo a falar sobre o seu primeiro livro, intitulado “E tu, queres ser FELIZ?”.

Autor :Marina Pardal

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

22 Março 2018 | Publicado : 17:11 (22/03/2018) | Actualizado: 16:08 (29/03/2018)

O autor tem 28 anos e é de Lisboa, sendo licenciado em Gestão e com mestrado em Educação, área em que tem trabalhado nos últimos anos.
Pedro Rocha e Melo salientou que, “neste momento, giro uma creche, em Lisboa, e tenho também uma academia extracurricular de desenvolvimento pessoal e social em contexto de estudos, desporto, arte, música e teatro, que é a Academia TEN”.
Relativamente ao livro, contou que “surgiu no seguimento de várias experiências e acontecimentos ligados ao trabalho em escola e na academia, bem como no contacto com várias crianças e jovens, nomeadamente na Escolinha de Rugby da Galiza, um projeto em que participei praticamente desde o início”.
O autor explicou que “esse projeto está associado a um ATL da Santa Casa da Misericórdia de Cascais e consiste num clube de rugby que foi criado para chegar às crianças e jovens de famílias em risco num bairro na zona do Estoril”.
Para Pedro Rocha e Melo, “esta foi uma das minhas maiores experiências e a história por detrás deste livro representa várias famílias que lá conheci, não é nenhuma em concreta, mas baseada em algumas dessas histórias”.
Acrescentou que “o livro tem uma parte que é sobre esses momentos que eu presenciei na Escolinha de Rugby da Galiza, havendo uma partilha de histórias muito interessante e muitas delas são relacionadas com a felicidade”.
O autor realçou que “outra parte tem a ver com leituras e pesquisas que fiz e contem ideias que fui recolhendo de autores, sobretudo estrangeiros, nomeadamente sobre o professor Tal Ben Shahar, organizador de um curso em Harvard sobre a felicidade”.
Explicou que “tento simplificar a mensagem, adaptá-la e torná-la acessível a todas as pessoas”.
Segundo Pedro Rocha e Melo, “a história começa com dois irmãos que vivem com a mãe, umas tias e uns primos, em condições muito frágeis, num bairro perto de Lisboa e que estão numa escolinha de rugby, sem referir o nome do bairro, nem da escolinha”.
Destacou que “numa das conversas do treinador com os jogadores, ele pergunta a um deles ‘tu queres ser feliz?’ e quando os dois irmãos vão na viagem de comboio de regresso a casa, o mais novo começa a falar com o irmão sobre ‘o que é isso de ser feliz’”.
A partir daí, “começam a perguntar ‘somos felizes ou não’ e se as pessoas à sua volta são felizes e iniciam uma jornada onde são integradas estas lições, algumas mais ligadas ao rugby e ao ATL, outras em ambiente de escola”, explicitou, focando que “são integradas também algumas das ideias deste professor de Harvard que referi e de outros autores”.
De acordo com Pedro Rocha e Melo, “eu escrevi o livro a pensar, sobretudo, nos jovens que eu mais acompanho e estamos a falar de idades entre os 14 e os 18 anos; no entanto, na minha opinião e pelo feedback que tenho tido, há pais que têm gostado de ler o livro”.
Com esta obra, lançada em janeiro deste ano, o autor pretende “ter a possibilidade de ir a escolas, clubes ou outras organizações, apresentar o livro e discuti-lo”, evidenciando que “já tenho algumas ações marcadas, mas estou disponível para mais sessões em diferentes locais”.
Frisou também que “o livro está a ser vendido pela editora Principia, pela Wook e também por mim”, esclarecendo que “quem estiver interessado na realização de sessões pode contactar-me através da Academia Ten (academiaten.org)”.
O autor precisou ainda que “este livro não é um guia de autoajuda”, lembrando que “a procura da felicidade é um caminho, de certa forma, individual, mas o que este livro tenta reunir são algumas ideias que são suficientemente universais para serem verdade para a vida da maior parte das pessoas, adaptando-as a cada caso”.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.