Diario do Sul
diario jornal

Águas já estão abertas a banhos

Praia de Monsaraz com Bandeira Azul hasteada à espera de um verão em cheio em Alqueva

A praia de Monsaraz tem Bandeira Azul hasteada e a autarquia já recebeu uma menção honrosa para a Praia Mais Acessível de 2017.

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

19 Junho 2018

Caso único no país por ter conseguido o galardão logo na primeira candidatura. A secretária de Estado da Inclusão de Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, marcou presença e elogiou a infraestrutura que exibe um areal mais amplo, com uma extensão de 150 metros, apoiados por 500 lugares de estacionamento. As áreas de toldos e restauração também aumentaram. Venha o calor.
Segundo o presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz, José Calixto, esta época balnear surge marcada por “melhorias” face ao início do verão passado. “Quando começámos não sabíamos nada da gestão destas infraestruturas, mas tínhamos consciência do espaço excessional propício a esta praia”, sublinhou o autarca, admitindo que os resultados alcançados há um ano abriram boas perspectivas.
“Tivemos 80 mil visitantes na contagem que fizemos, permitindo perceber que 25% dos banhistas eram espanhóis”, justificou o edil, admitindo que, para já, a nova época balnear “é encarada de forma tranquila e sem grandes alterações” face ao que foi o final da época passada, mas admite que no futuro pode haver expansão da praia. “Temos uma infraestrutura consolidada”, sublinhou José Calixto, congratulando-se ainda pela Menção Honrosa.
“É um prémio pelo nosso trabalho, mas foi gratificante ver aqui, no ano passado, instituições de apoio à terceira idade e famílias com pessoas portadoras de algum tipo de deficiência que vieram de forma reiterada, porque encontraram neste cantinho a praia ideal para quem precisava de uma cadeira anfíbia, podendo usufruir de uma água que, em alguns dias, atingiu os 30 graus”, acrescentou.
Já a secretária de Estado da Inclusão de Pessoas com Deficiência, a quem coube hastear a Bandeira Azul, deu especial relevo ao papel das praias fluviais no Interior do país, sobretudo às que investiram nas acessibilidades a fim de abrirem a “porta” ao turismo que se quer para todos.
“Esse movimento mobilizava, acima de tudo, as praias do Litoral, mas foi importante ver que as praias fluviais e as praias mais ao Interior estão seguir este exemplo e que até estão a dar cartas. A de Monsaraz destacou-se, até porque é incomum, e até acho que é inédito, que uma praia consiga este galardão logo no primeiro ano em que se candidata”, disse a governante, avançando que Portugal já soma 222 praias acessíveis, faltando 110 para que todas atinjam o mesmo estatuto.
“É assim que se faz turismo para todos, para que ninguém fique em casa”, insistiu Ana Sofia Antunes, defendendo a criação de condições que permitam aos portadores de deficiência motora irem às praias. “Uma pessoa que ande de cadeira de rodas sente-se muito limitada na praia se não tiver um conjunto de condições adicionais”, referiu, dando como exemplo as passadeiras com boas condições de manutenção que permitam chegar muito perto da água ou espaços onde se possa trocar de roupa com condições de privacidade.
Recorde-se que a praia de Monsaraz é a primeira da albufeira de Alqueva, onde além dos apoios no areal e relva se mantém uma estrutura flutuante dentro de água, que dá forma a uma piscina de 100 metros quadrados, com zona para crianças e adultos e solário. Garantidos estão também uma torre de vigilância com nadadores-salvadores, posto médico, duches, chuveiro duplo com lava-pés. Os visitantes têm igualmente à disposição um bar e restaurante, assim como um parque infantil, zona de merendas, ancoradouro e rampa para acesso dos barcos à água, no Centro Náutico de Monsaraz.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.