MALO
Diario do Sul
CCDR Portugal 2020

Clínica do Coração em Évora realizou 32 mil atos médicos só em 2018

Há uma década a “tratar o coração de todos os alentejanos”

Mais de 40 mil utentes, do norte alentejano passando pelo Alentejo Central e pelo Baixo Alentejo até ao litoral, escolhem a Clínica do Coração para a realização de consultas, exames médicos e análises. Como o nome indica, esta é uma clínica privada que tem na génese da sua actividade - o coração. Constituída por uma vasta equipa de profissionais, este espaço de saúde é já uma referência na região.

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

21 Fevereiro 2019 | Publicado : 11:46 (21/02/2019) | Actualizado: 12:10 (21/02/2019)

De acordo com o Conselho de Administração, representado por João Vasconcelos e por António Guerreiro, este reconhecimento assenta numa prestação de serviços de alta qualidade, célere e profissional que coloca o utente no centro do mundo da saúde. Os dirigentes salientam que associada à cardiologia existe também uma aposta na cardiopneumologia, bem como em todas as especialidades que estão relacionadas com as patologias cardíacas. Atualmente, o presente passa por continuar a afirmar-se com competência e eficiência, estando o futuro a ser perspetivado em marcar presença noutros distritos do Alentejo. Prestar um serviço de proximidade, olhando para os utentes não como números, mas como pessoas é, para estes responsáveis, a principal chave do sucesso ao longo destes dez anos de existência e assim deve continuar a ser.  

Clínica do Coração do Alentejo - recepção

A clínica é uma referência na região. Como foi conseguido alcançar este objetivo?

Até Janeiro de 2009, a cidade e o distrito de Évora estavam deficientemente servidos na resposta às necessidades de assistência cardiológica à sua população e praticamente limitados à capacidade do Hospital do Espírito Santo de Évora, quanto a nós mais vocacionado para o internamento das situações agudas e o seguimento temporário das patologias mais graves. Não existia na cidade nenhuma clínica ou hospital privado, de dimensão significativa, diferenciado no diagnóstico e tratamento das doenças cardiovasculares. Principalmente não existia nenhuma unidade convencionada com o Serviço Nacional de Saúde, em atividade, que respondesse com eficiência às solicitações de exames complementares de diagnóstico efetuadas pelos médicos da nossa região. Parece hoje impossível, mas para fazer uma simples prova de esforço era necessário os utentes deslocarem-se a Setúbal ou a Lisboa. Estávamos na cauda do país no que se referia a esses serviços.

Foi essa realidade que levou à criação desta clínica?

Sim. Um pequeno grupo de pessoas ligadas à saúde resolveu pegar num antigo consultório adormecido e construir um projeto inovador, tendo sido necessária muita energia para uma pequena clínica moderna nascer, crescer, resistir aos ataques dos grandes industriais da saúde e conquistar uma posição de liderança nos cuidados cardiovasculares extra-hospitalares em Évora. Começámos em 2009 com um número reduzido de médicos, técnicos e administrativos, mas progressivamente foram aumentando e, atualmente, contabilizam-se em mais de 30 médicos, entre os quais dez cardiologistas de adultos e dois cardiologistas pediátricos, oito técnicos de cardiopneumologia, sete administrativos e dois administradores. Não nos consideramos concorrentes do Serviço Nacional de Saúde, mas sim parceiros ou complementares na Medicina de Ambulatório. 

O que diferencia a Clínica do Coração de outras existentes na região e na cidade?

Somos uma pequena e média empresa (PME) líder independente baseada na relação de proximidade com o utente. Apostámos em médicos da cidade ou da região e não em desconhecidos. Não somos uma fábrica de saúde de um qualquer grande grupo industrial da saúde. Os nossos doentes não têm números, têm nomes. Contamos com uma equipa altamente motivada, profissional, com atualização permanente que proporciona a quem nos procura os mais elevados padrões de qualidade na carteira de serviços que oferecemos.

Quantos utentes têm tido ao longo deste tempo?

Em 2018 realizámos cerca de 32 mil atos médicos (consultas e exames) e mais de 200 mil em dez anos de vida. Sem consultar estatísticas terão passado por esta clínica mais de 40 mil utentes.

O que leva um doente a procurar-vos?

Estamos num espaço nevrálgico da cidade, construído de raiz, amplo, moderno, agradável e funcional, tecnologicamente bem equipado, agregando em seu torno a maioria dos cardiologistas de Évora, trabalhando com uma jovem e dinâmica equipa de técnicos de cardiopneumologia e assistidos por um simpático e eficiente corpo administrativo. Temos cardiologistas, que para além de cardiologia geral, estão diferenciados nas várias subespecialidades da cardiologia, designadamente a ecocardiografia e a imagiologia cardíaca, a arritmologia e o pacing cardíaco, os cateterismos e as intervenções nas coronárias.

A qualificação da cardiopneumologia e o profissionalismo do atendimento são igualmente fatores decisivos?

O nosso corpo de técnicos de cardiopneumologia é constituído por um jovem grupo de profissionais altamente diferenciados, com formação académica superior, incluindo licenciaturas e mestrados, com sólidos estágios, e a maioria, já com largos anos de experiência. A nossa equipa de rececionistas e assistentes de consultório foi selecionada pela sua simpatia e competência, rivalizando em eficiência com os profissionais das melhores unidades de saúde nos grandes centros. Telefone para a Clinica do Coração e conte os minutos que demora a ser atendido.

Dinâmica e celeridade do serviço é fator diferenciador

Essa celeridade verifica-se também na marcação de consultas e exames?

Na Cínica do Coração do Alentejo é habitual os utentes realizarem os seus exames e a consulta médica, num curto período de tempo, ficando por exemplo despachados em duas horas. Pode também fazer exames e levar o resultado no próprio dia, quando justificado. Análises colhidas de manhã podem estar prontas à tarde. Estamos disponíveis para fazer um checkup cardiovascular em poucas horas. A dinâmica do nosso serviço é extremamente útil quando os utentes residem longe ou têm dificuldades de deslocação.

Quantas especialidades existem? Dão resposta às necessidades da população?

O coração da Clínica do Coração é mesmo a cardiologia e cardiologia pediátrica. Depois conseguimos reunir um grupo de especialidades que também estão envolvidas na prevenção e tratamento das doenças cardiovasculares, designadamente a cirurgia vascular e angiologia, a medicina interna, a pneumologia, a neurologia, a nefrologia, a gastroenterologia, a psiquiatria, a psicologia e a pediatria.

Mas a estas juntaram-se outras mais.

É verdade. Juntaram-se ao corpo médico algumas especialidades de que nos orgulhamos pela excelência dos seus profissionais, nomeadamente a dermatologia, a otorrinolaringologia, a cirurgia geral, a ortopedia e a urologia. No último ano, conseguimos obter um excelente núcleo de saúde mental, incluindo quatro psiquiatras e dois psicólogos. No que refere à cardiologia podemos disponibilizar consultas e exames diários, praticamente sem tempo de espera (dependendo do médico pretendido). Nas outras especialidades a nossa resposta é na generalidade boa e rápida.

Quais são os objetivos para os próximos tempos?

A Clínica do Coração do Alentejo nasceu em Évora, no Alentejo Central, mas temos capacidade para oferecer serviços na área da cardiologia a todo o Alentejo, incluindo o distrito de Portalegre, o distrito de Beja e o Litoral Alentejano. Atualmente já somos procurados por utentes que residem desde Nisa a Almodôvar e desde Barrancos a Odemira, o que representa a maior área geográfica regional do país, com uma população dispersa, mas superior a 500 mil habitantes.

A clínica tem contratos de adesão com unidades locais de saúde?

Temos um contrato de adesão com a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) e recebemos regularmente utentes do Baixo Alentejo. Está nos nossos horizontes proporcionar o mesmo tipo de oferta de modo estruturado à população do Alto Alentejo, com a celebração de uma parceria com a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), área geográfica onde a oferta de serviços de cardiologia tem sido muito irregular e as carências da população muito elevadas. Temos ainda a ambição de estender a nossa oferta aos cidadãos do Litoral Alentejano nos mesmos moldes procurando parcerias com a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), que tal como a ULSBA e a ULSNA se encontram no raio de ação da Administração Regional de Saúde do Alentejo (ARS Alentejo) com quem detemos convenção.

Delegação da clínica no Baixo Alentejo é uma das apostas no futuro

Em termos de espaço físico pensam criar uma delegação noutro distrito do Alentejo?

Tivemos uma primeira e breve experiência de expansão física para Beja que, por motivos estranhos à nossa vontade e à procura dos utentes, não foi possível manter, mas planeamos voltar a investir no Baixo Alentejo, considerando que se trata de um distrito quase tão populoso como o de Évora e com evidente insuficiência na cobertura cardiológica. À data só residem dois cardiologistas em Beja, exercendo a sua atividade entre o Hospital de Beja e as clínicas privadas do distrito. Em comparação, em Évora, residem cerca de 13 especialistas em cardiologia e mais quatro ou cinco internos de cardiologia.

E no que se refere a parcerias e acordos com subsistemas de saúde e seguradoras?

No que refere a parcerias e acordos temos uma convenção com a Administração Regional de Saúde do Alentejo (ARS Alentejo) e acordos com quase todos os subsistemas de saúde e seguradoras, exceto com a ADSE que como é do conhecimento público vive tempos conturbados. No entanto, trabalhamos em regime livre com a ADSE, seguindo rigorosamente as suas tabelas de valores, no que refere aos exames complementares de cardiologia, para que os seus beneficiários possam receber o reembolso de 80 por cento. No que concerne às consultas médicas, o valor em vigor pelo sistema é irreal (limite de comparticipação até 20 euros), não sendo possível arranjar médicos interessados. Contudo, estamos a estudar sistemas de financiamento para minimizar ou ultrapassar este problema.

Alargar as especialidades e olhar para outros mercados está nos horizontes do conselho de administração desta clínica?

É efetivamente um objetivo da Clínica do Coração iniciar uma campanha de sensibilização junto dos clubes desportivos e ginásios, disponibilizando planos de checkup, por valores acessíveis, que ajudem a garantir a segurança das nossas crianças e adultos desportistas. No que refere à diversificação das especialidades, não encaramos como prioritário. Vamos continuar a tratar o coração dos alentejanos. Em terra de supermercados só sobrevivem as mercearias gourmet que pela excelência dos seus produtos e dos seus serviços fazem a diferença.

O que podem os utentes continuar a esperar desta clínica?

Somos uma clínica privada, que convencionada com o Serviço Nacional de Saúde, tem com uma forte missão social e queremos tratar todos os nossos doentes, seja qual for a sua origem, sem discriminações, como amigos, e oferecer-lhes conforto, simpatia, diferenciação, qualidade, eficiência e competência.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.