auchan
Diario do Sul

VIAGENS

Fernando de Noronha, um paraíso brasileiro

Segundo alguns historiadores, os portugueses chegaram ao Brasil antes do ano de 1500 e utilizaram o litoral como parada até chegarem ao Oriente. Contudo, o anúncio oficial da chegada ao Brasil só aconteceu no ano de 1500 e ficou atribuída ao navegador Pedro Álvares Cabral que atracou em solo com cerca de 1,2 mil homens, vindos em três caravelas.

Autor :Múcio Aguiar

11 Setembro 2019 | Publicado : 18:04 (11/09/2019) | Actualizado: 18:06 (11/09/2019)

Ao avistar as novas terras, batizou-as de Ilha de Vera Cruz, sendo assim o primeiro nome dado pelos portugueses ao Novo Mundo, e que atualmente corresponde a parte do Nordeste da costa brasileira, relatado na Carta de Pero Vaz de Caminha.

Passado mais de 500 anos o cenário atual da antiga Vera Cruz já não guarda os mistérios as serem desbravados, porém, alguns encantos continuam os mesmos e em nossa jornada fazemos parada no arquipélago de Fernando de Noronha, com território de 26 km² e uma população de cerca de 3.000 pessoas. Localizada no estado de Pernambuco, a Ilha ainda mantém preservada sua naturalidade e encanto paisagístico, com rigor de preservação ambiental, mas com coração aberto aos visitantes.

De um lado está o Brasil, com o "mar-de-dentro", e suas 10 praias, duas baías desfrutáveis; uma especial, onde não se pode entrar: a Baía dos Golfinhos. Um mar tranquilo a maior parte do ano, protegido dos ventos, permitindo o acesso de uma praia à outra, em passeios cheios de beleza e aventura. Do outro lado, a África, no "mar-de-fora", com 4 praias, uma enseada, duas áreas de contemplação e um conjunto de piscinas nas rochas. Um mar agitado, acalmado um pouco em alguns pontos pelos arrecifes que retêm o mar entre as pedras. Esguichos, áreas enormes repletas de peixes coloridos, como imensos aquários, prontos para serem desfrutados.

Fernando de Noronha é um destino sempre cobiçado e a garantia de excelentes experiências, na culinária o festival gastronômico do pousadeiro Zé Maria é imperdivel em razão da variedade de sabores e a qualidade do seu chef. A mesa farta e a alegria constante de Zé Maria vem ganhando o mundo, devendo ser parada obrigatória.

Se optar pela aventura, vale a pena fazer o agendamento de uma das trilhas que o Parque Nacional Marinho oferece. O agendamento deve ser feito com alguns dias de antecedência e algumas trilhas requerem a presença de um guia. A trilha da Atalaia curta não precisa de guia e é bem fácil de fazer; já a Atalia longa que tem cerca de 4 horas de duração é mais puxada, mas igualmente bela!

Aproveitando toda a pureza da água, com temperatura média de 27º, reserve um dia para fazer um mergulho com cilindro, ou mesmo com snorkeling, e você ficará deslumbrado com a diversidade marinha de Noronha. A variedade de peixes, tartarugas e pequenos tubarões são visitantes que podem ser observados na Praia do Sueste ou na Praia do Porto. E para esse roteiro a melhor opção é com Noronha Diver, da pousada Tubarão, de Paulo Ferreira.

Quem planeja Noronha deve pensar em ficar três ou quatro dias, tempo suficiente para desbravar as belezas naturais e conciliar a viagem com uma boa hospedagem vale a pena. A pousada Del Mares oferece simpatia, conforto e tratamento personalizado, o anfitrião Pedro Henrique recebe seus hospedes de coração aberto e desenvolveu um perfume próprio para seu estabelecimento e oferece seu chá das cinco com um excelentes doces e salgados, marcando qualquer viajante. Com 95 anos, dona Josefa, da Pousada Sueste é um encanto. Perguntada o segredo da longevidade, responde rápido "trabalho e pensar no futuro".

Harmonizando a paisagem natural ao seu empreendimento, Kátia Peixoto, da Pousada Morena recebe com sofisticação seus hospedes, que podem desfrutar do por do sol numa morna piscina e um dos melhores visuais do arquipélago. Já a Pousada Maria Bonita, apesar do requinte, não é opção para quem deseja encontrar a naturalidade e o carisma, próprio do ilhéu.

Pousada Morena

Antes de retornar vale a pena uma parada no Recife para visitar a nova Lisboa, Olinda, cidade patrimônio da humanidade. No Recife, uma boa opção é o Ramada Hotel, localizado no bairro da Boa Viagem. Próximo ao aeroporto e no meio do caminho para o litoral sul e norte. O Ramada além do melhor custo beneficio presenteia o hospede com uma exposição permanente do mestre J. Borges, um conhecido xilografista pernambucano.

Faça uma boa viagem!

 

 

Serviços:

Moeda: Real

Valor médio da hospedagem/diária: 200 a 500 euros

Como chegar: Saindo de Lisboa pela TAP ou Cabo Verde Airlines para o Recife, em seguida pela companhias aéreas Azul ou Gol, que operam voos diretos e regulares saindo do Recife. Duração do voo 1 hora.

Opções de hospedagens (dica do jornalista):

Pousada Del Mares (www.pousadadelmares.com.br)

Pousada Tubarão (www.pousadasdenoronha.com.br)

Pousada Morena (www.pousadamorena.com.br)

Ramada Hotel

(www.atlanticahotels.com.br/hotel/ramada-hotel-suites-recife/1027884)

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.