Diario do Sul
diario jornal

Suão realizou cerimónia educativa para marcar início de ano letivo

“É nossa missão mostrar que a educação é fundamental ao longo da vida”

Aprendizagens ao longo da vida para os mais idosos, gabinete do desenrascanço estudantil para os mais novos e partilha de experiências são as ofertas formativas da Associação de Desenvolvimento Comunitário – SUÃO – agendadas para o ano letivo que agora arranca.

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção D.S.

28 Outubro 2016

A cerimónia de abertura decorreu, no passado domingo, em São Miguel de Machede, onde o fundador, Bravo Nico salientou o empenho de todos os que participam neste projeto de cidadania e comunidade como forma de enriquecer esta vila alentejana do concelho de Évora.

“A educação é o único património que nós podemos construir com os meios que temos”. A afirmação é de Bravo Nico que continua a defender a aprendizagem ao longo da vida, apostando-se na educação de adultos e em educação não formal como capaz de contribuir para uma melhor qualidade de vida da comunidade em que esta associação atua.

O mesmo responsável salientou que, no arranque deste novo ano letivo, que vai ser frequentado por cerca de 27 adultos e mais uma dezena de crianças, a Suão pretende manter a linha estratégica que iniciou em 1998 com uma escola de cidadania. “Nesta participam pessoas de todas as idades, de todos os níveis de escolaridade, de todas as origens culturais, ou seja, é uma verdadeira escola comunitária”, frisou.

Bravo Nico explicou que, nesta associação, impera o sentido da intergeracionalidade, adiantando que os mais jovens que têm mais habilitações académicas têm oportunidade de poder participar na vida comunitária, contactando com pessoas mais velhas. “Aqui os jovens têm possibilidade de transmitir aos mais velhos o conhecimento académico que têm, a inovação, a tecnologia e com isso proporcionam-lhes oportunidades de aprendizagem, assumindo-se como uma valia para contactarem, dialogarem e cooperarem todas as gerações da nossa vila”, sublinhou.

No curso Educação de Adultos, a oferta formativa assenta em aulas de artes e informática, a que se juntam dinâmicas de grupo, a realização de palestras mensais e visitas de estudo. De salientar também o circuito aldeia, que está ligado à gastronomia, e que tem, segundo a Suão, conseguido atrair muitos visitantes a esta vila.

Intergeracionalidade
é decisiva para
a aprendizagem

No entanto, nesta escola há também espaço para os mais jovens apreenderem com os que já viveram mais, “valorizando-se o conhecimento experiencial, o conhecimento das vivências e com isso ajudarem os mais novos a enriquecerem-se do ponto de vista humano”, acrescentou.

Outra das pedras basilares desta escola é o Gabinete do Desenrascanço onde os jovens mais crescidos, em regime de voluntariado, ajudam os mais novos, numa base de mentorado. “Temos três jovens que vão estruturando o trabalho e dando resposta àqueles que precisam de maior acompanhamento no estudo”, evidenciou.

Bravo Nico salientou que esta valência visa, sobretudo, que as pessoas mais jovens tenham percursos longos de educação, que fiquem em São Miguel de Machede e que não tenham que sair para ter acesso à educação, ajudando à fixação na terra. No que diz respeito aos mais idosos, a Suão tem como missão contribuir para que os direitos à educação e à saúde sejam assegurados. “A educação é fundamental para manutenção da vida das pessoas, ou seja, para a vida toda e ao longo da vida”, frisou.

Eleições dos Órgãos Sociais da Suão realizaram-se no dia 23 de outubro • Lurdes Pratas Nico é a nova presidente da direção

A Associação de Desenvolvimento Comunitário (SUÃO) foi a votos, no passado domingo, tendo concorrido apenas uma lista. De salientar que da votação dos associados resultou a eleição de Lurdes Prata Nico como presidente da direção, tendo ficado Bravo Nico como diretor/executivo, uma vez que não podia voltar a concorrer ao cargo. Em declarações exclusivas ao “Diário do Sul”, a nova dirigente afirmou que a missão que está subjacente a esta associação vai manter-se, sublinhando a importância de trabalhar para a comunidade.

Lurdes Pratas Nico afirmou que este novo cargo que assume representa “uma continuidade no sentido em que irei permanecer a trabalhar como tenho feito até aqui, no sentido de preservar os direitos fundamentais como o zelo profissional, a responsabilidade, o respeito e o trabalho em equipa”.

A dirigente disse ser reconfortante “sentir que podemos ser úteis aos outros e podermos ajudá-los”. Contudo, advertiu que esta nova condição “tem ainda um duplo sentido e que é o facto de dar-me ainda maior responsabilidade”.

A responsável adiantou ainda que a Suão vai continuar a trabalhar com todas as entidades que são parceiras “e sem as quais não poderíamos ter o resultado que temos tido ao longo de quase 20 anos”.

Lurdes Pratas Nico referiu que “o maior legado que podemos ter é trabalhar para o coletivo, darmos um bocadinho de nós aos outros todos os dias. Estou aqui para dar e para aprender que é, afinal, o que a Suão tem feito ao longo dos anos porque tem sido uma escola para mim”.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.