euroace
Diario do Sul
diario jornal

Filomena Araújo, diretora do Departamento de Saúde Pública e delegada de Saúde Regional

Vacinação é a única medida para que o vírus deixe de circular no mundo

Não existe, à data, nenhum caso suspeito de sarampo notificado na região Alentejo. A vacinação é a única medida eficaz para evitar a doença. A afirmação é feita por Filomena Araújo, diretora do Departamento de Saúde Pública e delegada de Saúde Regional do Alentejo.

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

29 Março 2018

Em entrevista exclusiva ao “Diário do Sul”, a responsável garantiu que se surgirem casos irão ser cumpridas as orientações e normas que já estão em vigor emanadas pela Direção Geral da Saúde, diagnóstico precoce dos casos, isolamento social, identificação e vacinação dos contactos, quando aplicável.

Há casos de sarampo, atualmente, na região Alentejo? Quando foi a última vez que foi diagnosticado um caso?
Não existe, à data, nenhum caso suspeito de sarampo notificado na região Alentejo. Em 2017 houve um caso confirmado de sarampo importado de um país europeu, com evolução benigna e que não resultou em nenhum caso secundário.


A que se deve este surto de sarampo?
Estando em curso surtos de sarampo em vários países, incluindo na Europa, com a mobilidade dos cidadãos acontece que um cidadão português ou estrangeiro não imune contraia infeção e depois a transmita a outras pessoas não imunes. Numa população com elevada proteção contra o sarampo por ter tido a doença (nascidos antes de 1970 em Portugal), ou por vacinação, a doença transmite-se com dificuldade atingindo pessoas suscetíveis (sem história de doença ou de vacinação). Em populações não imunes o sarampo é muito contagioso, como era antes do início da vacinação.


Esta doença esteve erradicada durante muito tempo. A “moda” da anti-vacinação tem alguma influência no atual contexto?
O sarampo é alvo de um plano de erradicação pela Organização Mundial de Saúde, ou seja, o objetivo é que o vírus deixe de circular no mundo, como aconteceu com a varíola. O sarampo está eliminado nalgumas regiões do mundo. Portugal foi em 2016 considerado como tendo eliminado o sarampo autóctone. O reaparecimento de casos e de surtos de sarampo, na Europa, tem sido facilitado pela acumulação de pessoas suscetíveis por falta de vacinação.


Normas têm sido divulgadas por todas
as unidades de saúde


O que pensam fazer caso comecem a surgir casos de sarampo nesta região?
Seguir as orientações e normas que já estão em vigor emanadas pela Direção Geral da Saúde, diagnóstico precoce dos casos, isolamento social, identificação e vacinação dos contactos, quando aplicável. As normas têm sido amplamente divulgadas por todas as unidades de saúde.


É defensora da vacinação? Porquê?
A vacinação é a única medida eficaz para evitar a doença. O sarampo é muito contagioso e pode provocar doença grave e, em alguns casos, a morte.


Que conselho dá à população?
A grande maioria da população que nasceu antes de 1970 está imune ao sarampo por ter tido a doença (o sarampo dá imunidade para a vida). Assim indica o Inquérito Serológico Nacional. As pessoas nascidas depois de 1970, para estarem protegidas, devem ter 1 dose da vacina contra o sarampo que é administrada atualmente numa forma combinada com as vacinas contra a parotidite epidémica e a rubéola a VASPR. As pessoas com menos de 18 anos de idade devem ter cumprido o esquema de vacinação do programa Nacional de Vacinação, duas doses da vacina VASPR: 1ª dose aos 12 meses e 2ª dose aos cinco anos. Se tiver vacinas em atraso devem contactar a sua unidade de saúde para atualizar a vacinação.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.