Diario do Sul
Century 21

Lojistas esperam que esta época seja a melhor dos últimos quatro anos

Comércio tradicional faz “as pazes” com o Natal

Marina Pardal

10 Dezembro 2015 | Fonte: Redacção D.S.

O cheiro a Natal já se sente. As montras iluminadas, decoradas de acordo com a época festiva revelam que a esperança voltou. É pelo menos esta a ideia do vice-presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), Vasco Mello, em declarações a um jornal nacional. Parece haver mais clientes na rua, mais compras do que nos anos anteriores e, sobretudo, mais emprego, mesmo que seja sazonal e para fazer face aos presentes que, este ano, podem ser mais. Poder-se-á dizer que o comércio tradicional fez as “pazes” com o Natal?

Vasco Mello disse ao “Diário de Notícias” que “o último trimestre e em especial o último mês representam uma grande fatia das vendas”, avançando que há alguma expectativa de que as coisas possam corram melhor este Natal. Mas também no emprego, a época natalícia está a fazer mexer, “até porque os balcões têm de ser adaptar à procura”, sustentou o mesmo responsável.

Também, segundo dados divulgados pelo “Dinheiro Vivo”, neste período tem-se registado um aumento em 50 por cento do número de ofertas de emprego, ainda que temporário.

Perante isto, tudo leva a crer que desde que começou a crise que não há registo de uma época natalícia tão boa para o comércio tradicional como esta.

Isto parece ser visível também em Évora que tem estado “invadida” por turistas, sobretudo, espanhóis que escolhem esta cidade para fazer as suas compras.

De acordo ainda com o “Dinheiro Vivo”, no ano passado, os portugueses gastaram mais de seis mil milhões de euros entre 24 de novembro e 28 de dezembro, aguardando-se que este ano, esta meta seja ultrapassada.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.