Diario do Sul
diario jornal

Restauros

Importante pintura a fresco está a ser restaurada na Igreja da Misericórdia de Alvalade

Na Igreja da Misericórdia de Alvalade, edifício do Séc. XVI, no município de Santiago do Cacém, estão a decorrer os trabalhos de restauro dos frescos existentes na abóboda da capela – mor. Os trabalhos compreendem a remoção da cal, que ocultava as pinturas, o estudo e a conservação dos frescos.

19 Agosto 2016

A intervenção promovida pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém está a cargo dos técnicos da Mural da História; empresa especializada na conservação, restauro, estudo e divulgação de pintura mural e com um vasto trabalho de norte a sul do País.

As pinturas, com motivos religiosos, de uma notável qualidade, foram descobertas na sequência de trabalhos de prospeção pictórica realizados em 2014.

Concluída em 1570, esta igreja, localizada no centro histórico da vila de Alvalade, manteve em segredo, oculta por várias camadas de cal, esta bela composição pictórica, que em muito irá valorizar o futuro Museu de Arqueologia de Alvalade.

Os trabalhos podem ser acompanhados pela comunidade local, pois decorrem de portas abertas.

A Câmara Municipal de Santiago do Cacém e a Junta de Freguesia de Alvalade, no âmbito da adaptação da antiga Igreja da Misericórdia de Alvalade a futuro Museu de Arqueologia, têm vindo a desenvolver um conjunto de ações que, entre outras, incluíram a reparação das coberturas do edifício e a escavação arqueológica e antropológica, que colocou a descoberto a antiga necrópole no interior do templo.

A menos de um mês de mais uma edição da feira “Alvalade Medieval”, que decorre entre os dias 16 e 18 de setembro, no âmbito das comemorações dos 506 anos da atribuição do Foral a Alvalade por D. Manuel I, este será certamente mais um motivo para uma agradável visita.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.