Diario do Sul
Century 21

No Baixo Alentejo e Alentejo Litoral

Mau estado das estradas preocupa utentes e municípios

Quer se trate da N2, entre Aljustrel e Castro Verde, ou da N120, que liga Alcácer do Sal a Grândola, as infraestruturas rodoviárias continuam na agenda de municípios e associações de utentes, tendo em conta o mau estado dos pisos e os problemas de segurança rodoviária.

Carlos Trigo

01 Abril 2015 | Fonte: Redação D.S.

No Baixo Alentejo, as Câmaras Municipais de Aljustrel e Castro Verde solicitaram o agendamento de uma reunião conjunta à direção da Delegação Regional de Beja da Estradas de Portugal. Um único ponto na ordem de trabalhos – “análise do avançado estado de degradação do troço da EN2 que liga Aljustrel a Castro Verde”.

“Entendem ambos os municípios que as obras na EN2 devem ser realizadas com carácter de urgência, considerando que se trata de uma via onde circulam, diariamente, centenas de habitantes dos dois concelhos, seja para desenvolverem a sua actividade profissional, como é o caso concreto das centenas de trabalhadores da Somincor residentes em Aljustrel, seja para aceder a serviços médicos, nomeadamente às urgências do Centro de Saúde de Castro Verde, que serve também o Concelho de Aljustrel”, pode ler-se num comunicado divulgado esta semana.

No litoral, as Comissões de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e de Grândola informaram que foram recebidas em novas audiências pelos Grupos Parlamentares do PCP, PS e PSD. Audiências para debater assuntos relacionados o IC1, “com maior relevância, para o troço da N120 que liga os dois Municípios de Alcácer do Sal e Grândola”.

As Comissões de Utentes do IC1 lamentam o que consideram como “manifesto incumprimento” de um contrato público e que o Governo não tenha atuado no sentido da defesa da segurança e dos interesses dos utilizadores, bem como, dos interesses estratégicos desta região do Alentejo Litoral.

A Estradas de Portugal tem a obra incluída no plano de acção mas os trabalhos no IC1 foram interrompidos em 2011.

“O que de facto se atesta neste longo processo, é que o Governo ordenou a suspensão efetiva de um conjunto de obras, até então previstas para muitas das vias destes dois Concelhos e não só, promovendo, com essa disposição, uma clara alteração das regras contratuais, ilibando, ao que tudo indica, os referidos incumprimentos da parte do Consórcio. Porém, as Comissões de Utentes do IC1, não podem, ainda, deixar de manifestar que este processo, já decorre há alguns anos a esta parte, nomeadamente, iniciado no Governo do PS, que foi o promotor do Contrato da Subconcessão do Baixo Alentejo, celebrado em 2009, e que no caso do IC1, praticamente, se resumiu a uma intervenção entre a localidade de Marateca e Palma, (2011/2012). Estamos, portanto, com um processo, que nos afigura de ‘inquinado à nascença’”, segundo um comunicado das Comissões de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e de Grândola.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.