Diario do Sul
Twitter rectangular

Trilhos pedestres

Rota Vicentina cumpre três anos com cinco novos percursos no concelho de Odemira

A Rota Vicentina, que liga o Alentejo ao Algarve por trilhos pedestres, está a celebrar três anos de existência com a abertura de cinco novos percursos circulares no concelho de Odemira, no total de 50 quilómetros.

Fonte: Diário do Sul

18 Maio 2015

Almograve, Sabóia, Santa Clara-a-Velha, São Luís e Troviscais, no concelho de Odemira, distrito de Beja, são os locais que passam a poder ser descobertos através dos trilhos sinalizados e conservados pela Associação Rota Vicentina.
Para divulgar os novos percursos, a entidade está a organizar algumas caminhadas, começando pelas dunas do Almograve, no domingo, prosseguindo na zona de Troviscais, no dia 06 de junho, e chegando às hortas de São Luís, em 14 de junho.
A Rota Vicentina foi inaugurada há três anos, com cerca de 200 quilómetros de percursos sinalizados no litoral alentejano.
Em julho de 2013, foi concluída a sinalização dos trilhos algarvios, elevando para 350 os quilómetros desta rota que liga Santiago do Cacém, no Alentejo, ao Cabo de São Vicente, no Algarve.
Desde modo, os amantes de caminhadas ficam agora com 400 quilómetros para percorrer a pé nas costas alentejana e vicentina, que se dividem pelo Trilho dos Pescadores, sempre junto à costa, pelo Caminho Histórico, que atravessa o interior, passando por quintas, lugares e aldeias, e pelos percursos circulares de Odemira.
Inicialmente, a Rota Vicentina foi dinamizada pela Casas Brancas, uma associação com sede em Odemira que reúne empresários da área do turismo da costa alentejana e do barlavento algarvio, com o apoio da associação algarvia Almargem e entidades públicas, entre as quais autarquias.
O projeto pretende promover a região como destino de turismo de natureza, uma forma de combater a forte sazonalidade, muito relacionada com a procura de férias de "sol e mar".
A Associação Rota Vicentina formou-se em 2013, com a responsabilidade de continuar a desenvolver a iniciativa, cabendo-lhe também monitorizar e assegurar a manutenção dos trilhos.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.