flamenco y fado
Diario do Sul
Portugal 2020 projetos Março

Exportação de carne de porco vai ter início no final deste mês

Comitiva chinesa esteve em Reguengos de Monsaraz para promover relações económicas

Uma comitiva de responsáveis políticos e empresários da Província de Hunan, da República Popular da China, esteve, na passada sexta-feira, numa sessão na Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz.

Autor :Marina Pardal

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

22 Janeiro 2019

O objetivo foi promover as relações económicas entre Portugal e a China, sendo que está já concretizado um negócio ao nível de exportação de carne suína.

De acordo com José Calixto, presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz, “as relações com a República Popular da China têm-se processado ao nível da ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo”.

Recordou que, “recentemente, tivemos uma missão económica a Xangai e a Ningbo, duas cidades chinesas com as quais há intenções forte de contactos económicos, nomeadamente através do Porto de Sines e do Porto de Ningbo, que é o maior porto de águas profundas do mundo”.

O autarca explicou que, “nessa mesma visita, houve a possibilidade de concretizar um negócio com uma empresa portuguesa AGPMeat, que tem a sua unidade em Reguengos de Monsaraz, a Maporal”.

Segundo José Calixto, “o negócio começa a concretizar-se no próximo dia 30 de janeiro, altura em que vai haver a saída do primeiro contentor de carne de porco para a China”, especificando que “faz parte de um negócio global de 300 milhões de euros”.

Adiantou que “esse momento será assinalado com a presença do senhor ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, cá em Reguengos de Monsaraz, na Maporal, que é a unidade que está a fazer o abate da carne de porco para o envio para a China”, constatando que “a visita da passada sexta-feira foi anterior ao início do negócio”.

A esse respeito, o edil focou que “foi uma visita das autoridades e de empresários da província de Hunan, que vieram conhecer o território”.

Precisou que “o objetivo foi apresentarmos o nosso concelho e o Alentejo na sua globalidade, tendo sido convidada a ADRAL para fazer essa apresentação”.

José Calixto referiu também que “contámos com a presença da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa, nomeadamente do seu secretário-geral, Sérgio Alves, uma entidade que tem contribuído para protocolar as relações entre os dois países”.

O autarca mostrou-se esperançoso que “os nossos amigos chineses possam vir até nós enquanto investidores, mas também como turistas ou até como residentes”.

Durante a sessão, o ministro do Comércio da Província de Hunan, Xu Xiangping, relatou que “estamos muito contentes com a parceria que foi estabelecida entre Portugal e a China no setor da carne”, destacando ainda que “estamos muito satisfeitos por serem produtos de alta qualidade”.

O mesmo responsável frisou que “o nosso objetivo é aprofundar e promover a colaboração económica entre a China e Portugal”, apontando que “queremos fomentar a entrada de mais produtos portugueses na China, como é o caso dos vinhos e dos azeites”.

Para além disso, Xu Xiangping realçou que “poderá haver interesse na geminação de algumas cidades da província de Hunan com as cidades desta zona”.

Por sua vez, Nuno Correia, administrador da Maporal – Matadouro de Porco de Raça Alentejana, referindo-se ao negócio global de exportação de carne de porco para a China, que ascende a 300 milhões de euros, sublinhou que, “no primeiro ano, este projeto consiste numa faturação de cerca de 100 milhões de euros”.

Um dos pontos que evidenciou foi “o apoio do Governo português e da Câmara de Reguengos de Monsaraz para a concretização deste negócio”.

Na sua perspetiva, “o negócio que fizemos com a China vai revolucionar o mercado da carne de porco portuguesa”, lembrando que “este matadouro da Maporal tem a particularidade de ser o único em Portugal autorizado a abater porco ibérico preto”.

Nuno Correia mencionou ainda que “a nossa ideia é realizar em Reguengos de Monsaraz um investimento de cerca de dez milhões de euros, prevendo-se a criação de mais de 150 postos de trabalho”.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.