Diario do Sul
Twitter rectangular

Duas unidades de cuidados continuados e uma nova ala residencial

Misericórdia de Évora vai proceder à requalificação do Recolhimento Ramalho Barahona

O futuro complexo social desta misericórdia irá contemplar, de acordo com o provedor, Francisco Lopes Figueira, uma Unidade de Cuidados Continuados Intermédios e uma Unidade de Cuidados Continuados de Longa Duração, bem como uma nova ala residencial.

Roberto Dores

17 Outubro 2016 | Fonte: Redacção D.S.

A criação de novas valências e o alargamento da já existente vai permitir que o número de camas ascenda às 170. A obra está projetada para ser iniciada durante o próximo ano, num investimento de três milhões de euros que vão ser candidatados a financiamento comunitário.

“Um novo edifício, moderno e na vanguarda dos equipamentos sociais” é o objetivo da Misericórdia de Évora que foi apresentado, anteontem, ao final da tarde, à diretora do Centro Distrital de Évora, Sónia Ramos e ao presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo.

De acordo com o provedor da instituição, Francisco Lopes Figueira, a Misericórdia está preocupada com o grau de dependência dos utentes, “que resulta de uma idade média elevada, pois temos utentes com mais de 90 anos apresentando debilidades a que é preciso dar uma resposta com a maior urgência”.

Perante esta situação, o mesmo responsável justificou a razão da aposta neste projeto de requalificação que “visa permitir aliviar a ocupação da ala centenária do Lar Recolhimento Ramalho Barahona, proporcionando uma melhor qualidade de assistência aos utentes”. E acrescentou: “Projetamos para a Unidade de Cuidados Continuados Intermédios e de Longa Duração uma capacidade máxima de 40 utentes, bem como uma nova ala residencial com mais 40 camas”.

Contudo, Francisco Lopes Figueira explicou que o aumento do número de camas na valência de estrutura residencial para idosos “não implica a admissão de muitos mais utentes, mas uma melhor distribuição, tendo em conta que ambicionamos proporcionar-lhes melhores instalações”.

O provedor salientou que o projeto de requalificação está em fase de aprovação na Câmara Municipal de Évora, na Administração Regional de Saúde do Alentejo e na Segurança Social, indicando que a sua concretização está sujeita à comparticipação dos fundos comunitários. “A apresentação de uma candidatura ao programa comunitário Portugal 2020 está dependente da abertura de concursos”, sustentou, dizendo acreditar que “talvez no próximo ano seja possível arrancar com a construção do equipamento social”.


Instituição inaugurou
novos gabinetes:
médico e de psicomotricidade


O mesmo dirigente considerou que, após a concretização deste projeto, a Misericórdia de Évora “vai ter a sua vida alterada para melhor, isto é, haverá uma beneficiação da qualidade dos serviços prestados e de adaptação das respostas sociais às características dos nossos utentes”.

O provedor fez questão de aproveitar este dia para inaugurar dois novos gabinetes, um médico e outro de psicomotricidade, no Lar Recolhimento Ramalho Barahona, que, segundo Francisco Lopes Figueira, “vão contribuir para a melhoria do bem-estar geral dos utentes”.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.