merida enamora
Diario do Sul
Twitter rectangular

Próximos dias são decisivos

Falta de chuva preocupa agricultores mas há tempo de garantir culturas

Os agricultores alentejanos começam a dar sinais de preocupação devido à falta de chuva, mas recusam, para já, o estado de alarme, admitindo que se chover nos campos da região nos próximos dias (como prevê o Instituto Português do Mar e da Atmosfera) ainda se vai a tempo de garantir sucesso às culturas de outono/inverno.

Roberto Dores

23 Janeiro 2017 | Fonte: Redação

Ainda assim, já há quem alimente gado à mão porque as pastagens “encolheram” com a falta de água.

Foi o próprio ministro da Agricultura, Capoulas Santos, que admitiu na semana passada que o Governo está a "acompanhar com preocupação" a falta de chuva no país. Capoulas Santos adiantou que "há uma panóplia de soluções que só devem ser equacionadas em função do agravamento ou não da situação" e disse esperar que "o São Pedro cumpra a sua missão".

Na reação às declarações do ministro, o agricultor Manuel Bota confirma que o “inverno tem sido muito frio e com pouca água”, comparando o atual cenário com o que aconteceu entre 2004 e 2005, quando também choveu pouco e esteve imenso frio. “Isso que teve implicações nas culturas de outono/inverno”, recorda, sustentando que para já os agricultores ainda não estão em situação crítica, pelo menos, no distrito de Évora, embora as pastagens estejam afetadas, bem como as reservas de água.

Opinião partilhada por José António Castro, embora este agricultor defenda que uns dias e chuva serão suficientes para repor os armazenamentos nas albufeiras. “A situação ainda é pacífica. Agora, se não chover nos próximos dias, aí vamos começar a ter problemas”, adianta ao Diário do Sul, sublinhando ainda ser normal alimentar gado à mão nesta altura do ano. “É claro que gostaríamos todos muito que já tivesse chovido, mas vamos ter calma, até porque as culturas de outono/inverno têm capacidade de resistir ao frio e vão muito a tempo de recuperar para terem ainda um ano razoável”, insiste o mesmo produtor.

Recorde-se que o ministro Capoulas Santos já admitiu que o Governo está a "acompanhar com preocupação" a falta de chuva no país, e disse esperar "que São Pedro cumpra a sua missão". O titular da agricultura ressalvou que o país se encontra, de facto, numa situação que preocupa Governo, justificando que “já o ano anterior foi um ano mau em termos de pluviosidade suscetível de recarregar os aquíferos",insistindo que a chuva de 2016 "não foi suficiente". Capoulas Santos adiantou que "há uma panóplia de soluções que só devem ser equacionadas em função do agravamento ou não da situação" e disse esperar que "o São Pedro cumpra a sua missão". "Há até um ditado português que diz 'abril, águas mil' e é normalmente quando há muita pluviosidade", referiu o governante, acrescentando porém que tal "não significa" que o Governo não esteja "a acompanhar a situação com preocupação".

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.