Diario do Sul
diario jornal

Região viu o turismo crescer em quantidade e qualidade nos últimos 20 anos

Alentejo está no mapa dos destinos turísticos de excelência a nível mundial

27 Fevereiro 2017

Turistas mais exigentes, mais conhecedores, com vontade de vivenciar experiências novas, que escolhem um destino que alie o património imaterial ao material e, sobretudo, que sejam bem recebidos. São todas estas variáveis que condicionam a escolha por um destino e esse tem sido o Alentejo. A região tem sido, consecutivamente, escolhida como a melhor em termos turísticos. É essa a grande mudança que se destaca nos últimos 20 anos neste território. A região tem visto aumentar a procura, tem sabido dar resposta com o crescente empreendedorismo em termos de unidades hoteleiras, bem como de empresas de animação turística. Para o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, muito foi conseguido ao longo deste tempo com o trabalho árduo de muitos agentes que colocaram o Alentejo no mapa dos destinos turísticos de excelência.

“O turismo tornou-se um setor decisivo”. A afirmação é feita por António Ceia da Silva que considerou que “é, hoje, um dos que mais contribuiu e contribui para afirmar o Alentejo como destino de qualidade e de excelência”.

O dirigente salientou que nos últimos anos foram implementados dois documentos estratégicos que revolucionaram o turismo no nosso território. Como consequência disso, a oferta disparou significativamente, quer em número, quer em qualidade. “Temos, atualmente, mais unidades hoteleiras, “nomeadamente de cinco estrelas, ma também de turismo de habitação e rural”, mais espaços de restauração que preservam a gastronomia alentejana, mais empresas e agentes de animação turística que mostram a riqueza da região.

Este cenário levou a uma maior dinâmica no Alentejo, o que para António Ceia da Silva “é algo que nos orgulha a todos”, sobretudo porque se conseguiu que a identidade do povo permanecesse intacta e, sobretudo, valorizada com o cante alentejano, a arte chocalheira, as fortificações de Elvas a terem o reconhecimento como Património da Humanidade.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo lembrou ainda que tudo isto foi possível devido a um conjunto de pessoas e entidades que com o seu árduo trabalho “fizeram com que houvesse este boom positivo do turismo” na nossa região.

Boom resulta da promoção das potencialidades e de um trabalho de parceria entre várias entidades

O mesmo dirigente advertiu, contudo, que o Alentejo sempre teve potencialidades. O que mudou foi a estratégia de transformar esses recursos em produtos turísticos. “Conseguimos aumentar significativamente o número de visitantes, as dormidas, o tempo de permanência, a internacionalização do setor e comentámos a articulação em rede com os operadores. Tem sido um trabalho muito gratificante”, frisou.

Um exemplo recente destra trabalho é o projeto para novos centros de acolhimento turísticos e interpretativos.vSob o lema “Mostre o seu Alentejo”, a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERT) e o Município de Évora lançaram este produto que tem como finalidade melhorar as condições de receção, acolhimento e encaminhamento dos turistas e visitantes de Évora, contribuindo para que, para além da cidade, procurem outros destinos de visita e permanência noutros municípios do Alentejo Central.

Olhando para o futuro, António Ceia da Silva evidenciou que pretende continuar a trabalhar com empenho, dedicação, com muita vontade de forma a dar continuidade “à alavancagem do desenvolvimento da região alentejana”.

 

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.