Diario do Sul
Century 21

Oficial

Alentejo somou 92 crimes contra animais em 2016

Beja é o distrito alentejano onde a GNR contabilizou mais crimes contra animais de companhia no ano passado. Segundo dados agora revelados pela Guarda, os militares daquela força de segurança registaram 44 crimes, sendo 26 por maus-tratos e 18 por abandono. No total, o Alentejo chegou aos 92 crimes em 2016.

Roberto Dores

09 Março 2017 | Publicado : 11:42 (09/03/2017) | Actualizado: 15:07 (09/03/2017) | Fonte: Redacção

Recorde-se que os maus-tratos e o abandono de animais de companhia são considerados crime desde outubro de 2014, surgindo Évora com um registo de 18 maus-tratos e 15 animais abandonados, enquanto Portalegre figura na lista da GNR com dez maus-tratos e cinco abandonos.
Ainda no balanço referente ao ano de 2016, a Guarda Nacional Republicana dá conta da existência de 125 denúncias feitas às autoridades entre os três distritos de região, sendo 54 referente a Beja, 48 a Évora e 23 a Portalegre. O Norte Alentejano é o distrito com menos denúncias em todo o país e o segundo com menor número de crimes atrás de Bragança e Madeira.
Segundo fonte da GNR, o facto de haver mais denúncias não quer dizer, forçosamente, que haja mais violência contra animais. Contudo, a verdade é que em 2015 apenas três pessoas foram condenadas pelo crime de maus tratos contra animais em todo o país, tendo sido levadas a cabo 1395 investigações decorrentes de quase quatro mil denúncias, das quais 655 foram validadas como crimes pelo Ministério Público.
Recorde-se que a lei que criminaliza os maus-tratos contra animais refere que “quem, sem motivo legítimo, infligir dor, sofrimento ou quaisquer outros maus tratos físicos a um animal de companhia é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias”. A nova legislação deixa ainda claro que quem efetuar tais atos, e dos quais “resultar a morte do animal, a privação de importante órgão ou membro ou a afetação grave e permanente da sua capacidade de locomoção”, o mesmo será “punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias”. Em relação aos animais de companhia, a lei determina que, “quem, tendo o dever de guardar, vigiar ou assistir animal de companhia, o abandonar, pondo desse modo em perigo a sua alimentação e a prestação de cuidados que lhe são devidos, é punido com pena de prisão até seis meses ou com pena de multa até 60 dias!. A GNR refere ainda que os cidadãos podem denunciar situações que possam violar a lei através da linha “SOS Ambiente e Território” (808200520), que está disponível 24 horas e tem uma cobertura nacional.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.