Diario do Sul
Century 21

9as JORNADAS HOSPITAL VETERINÁRIO MURALHA DE ÉVORA

Nos dias 10 e 11 de Março de 2017, tiveram lugar no Évora Hotel em Évora, as 9as Jornadas do Hospital Veterinário Muralha de Évora.

04 Abril 2017

No sector agro-pecuário e equino, as Jornadas são já consideradas um evento de referência nacional.
Reuniram este ano mais de 600 participantes, reafirmando-se este congresso, como o maior encontro técnico de bovinos de carne em Portugal. O Hospital Veterinário Muralha de Évora marca uma vez mais a diferença, apostando em formação de qualidade.
Este ano, a escolha dos temas foi sem dúvida, ao encontro dos interesses da produção pecuária. Vários participantes ligados aos sectores agro-pecuário e equino vieram de vários pontos de Portugal e de Espanha para assistirem a este certame, que foi orientado essencialmente sob duas temáticas “Novas tendências na produção pecuária” na área dos ruminantes e “Apostar no presente, planear o futuro” relativamente aos equinos.
Nesta 9ª edição contámos com um total de 55 oradores, 36 palestras, e 9 workshops, 4 dos quais destinados a médicos veterinários, estando os restantes abertos aos participantes em geral.
Na sala de ruminantes, este círculo de palestras iniciou-se com a intervenção do Sr. Director Geral de Alimentação e Veterinária, o Professor Doutor Fernando Bernardo.
Seguiram-se temas como a Leptospirose (Drª Marisa Bernardino – Zoetis), Paratuberculose (Prof. Dr. Vergílio Almeida – FMV-UL) e a Besnoitiose (Prof. Dr. Hélder Cortes – UE), que são algumas das doenças que podem ocasionar perdas produtivas nos efectivos pecuários. Falou-se em prevenção, inovação e factores críticos na gestão de vacadas em extensivo (Dr. Juan Pineda).
A Drª Sónia Germano do Hospital Veterinário Muralha de Évora, numa palestra bastante dinâmica falou sobre a saúde do vitelo, e apresentou também alguns números relativamente aos custos com tratamentos vs prevenção de algumas das patologias mais frequentes.
Teve lugar uma palestra sobre “Maneio reprodutivo em ovinos – como fazer mais em menos tempo” (Dr. Fernando Fernandez – OVIGEN), uma área que cada vez mais merece o interesse e preocupação dos ovinicultores.
Por outro lado, foi abordado pela 1ª vez o tema das resistências aos antimicrobianos. O Professor Doutor Jorge Ferreira, consultor na SAFOSO (Safe Food Solutions) em Berna na Suíça, referiu que a “resistência a anti microbianos é um dos mais sérios riscos para a saúde pública global no presente”, se “não houver um devido controlo, isso implicará mudanças drásticas no modo e esperança média de vida nos humanos”, e termina advertindo que “pequenas mudanças pessoais podem significar grandes benefícios globais”.
A Fertiprado (Eng. José Freire) abordou também de forma muito prática as formas de inovar no extensivo, sempre com o objectivo de melhorar a rentabilidade das explorações.
No final do 1º dia, contámos com uma interessante mesa redonda sobre “Estratégias de Comercialização e Consequências dos Novos Mercados”, moderada pelo Dr. Manuel Joaquim (SUSTAURUSVET), onde estiveram presentes o Eng. António Rodrigues (ELIPEC), Eng. David Gouveia (GPP), Sr. João Piedade Correia (JMPC Lda), Eng. Manuel Silveira (AJASUL) e Prof. Drª Laurentina Pedroso (APIC).
Na manhã do 2º dia marcou presença a Associação de Médicos Veterinários do Campo Branco que partilhou com a audiência um interessante painel de casos clínicos em pequenos ruminantes.
Relativamente aos bovinos, falou-se em Mastites em vacadas de carne (palestra CPSU) e nos resultados e casos de sucesso do programa
Bovicare (Programa de controlo de IBR e BVD da Coprapec). A ordem de trabalhos culminou com uma mesa redonda moderada pelo Eng.
Pedro Manoel sobre “Organizações de Produtores Pecuários Estratégias para o Futuro” que contou com a presença dos Coordenadores das OPP de Estremoz, Beja, Montemor-o-Novo e Monforte.
A tarde foi bastante preenchida com workshops destinados a produtores pecuários (realizados pala 1ª vez) e que tiveram lotação esgotada:
Optimização do Unifeed, Inseminação artificial em ovinos, Descorna precoce em vitelos de carne e Património genético do touro – qual a sua
influência nas qualidades maternais da vacada.
À semelhança de anos anteriores, realizaram-se workshops específicos para médicos veterinários.
Na sala de equinos, o tema em destaque esteve essencialmente relacionado com a aposta na prevenção como planeamento de futuro, tendo em conta uma perspectiva de comercialização.
Durante a manhã do dia 10 de Março, as palestras foram relacionadas com a saúde do cavalo. Foram iniciadas com a abordagem prática de urgências, distinguindo o que pode ser azar ou erro de maneio, nas quais se destacaram as cólicas (Dr.ª Constança Moreira da Fonseca, HTS), as laminites (Dr. Nuno Bernardes, CVET) e as feridas (Dr. Tomé Fino, Equimuralha). O Dr. Miguel Rodrigues mostrou um interessante
panorama sobre gastrofilose equina, colocando em “pratos limpos” a real problemática dos ovos de mosca. A manhã terminou com uma palestra sobre a tosse em equinos, na qual a Prof. Dr.ª Elisa Bettencourt (Universidade de Évora) explicou toda a envolvência que este sinal clínico pode ter, desde diferentes patologias até diferentes formas de gestão do problema em termos médicos e de maneio, consoante o caso.
Durante a tarde, a presença do INIAV fez-se notar pelo Prof. Dr. Miguel Fevereiro e pela Prof. Drª. Helga Waap, que apresentaram palestras sobre Febre do Nilo Ocidental e Piroplasmose, respectivamente. Estas palestras conduziram a assistência a uma perspectiva de prevalências e impactos económicos no mercado da comercialização, sendo apresentados importantes dados estatísticos do INIAV.
No final do dia, a temática desta sala focou-se totalmente na comercialização, contando com a presença da Dra. Rita Gorjão Clara (DGAV), que elucidou os participantes destas jornadas sobre “Principais doenças e entraves à exportação”, onde foram abordados os pormenores necessários, protocolos e dicas para exportar cavalos para os diferentes países. Este assunto culminou com a mesa redonda subordinada ao tema “Estratégias de comercialização e consequências dos novos mercados”, moderada pela Dr.ª Liliane Damásio (Equimuralha), e na qual participaram o Sr Daniel Pinto (cavaleiro de dressage), o Eng. José Filipe G. Santos (Criador–Coudelaria Monte da Tramagueira) e o Sr. João Pedro Gomes (cavaleiro de obstáculos).
No dia 11 de Março decorreram dois workshops práticos de equinos destinados ao público em geral, com os temas “O meu cavalo está bem ferrado? Como resolver pequenos problemas” (Dr. Nuno Bernardes, CVET) e “Suplementação desportiva – como, quando e quais os melhores produtos?” (Dra. Maria João Baldaia, NAF/SF Feeding), os quais tiveram uma adesão muito superior ao esperado, sendo estes workshops a grande aposta destas jornadas, tendo em vista uma formação prática mais especializada dos nossos clientes e permitindo um melhor trabalho de equipa Médico VeterinarioCriador/Proprietário.
Neste dia decorreu também um workshop para médicos veterinários com o tema “Técnicas cirúrgicas a campo”, o qual contou com a presença do Prof. Dr. Luís Lamas (FMV-UL) e da Dra. Mariana Magalhães (FMV-UL), que proporcionaram aos participantes uma exposição sobre anestesia e cirurgia em clínica ambulatória com um conteúdo totalmente prático e acessível a todos os veterinários de campo.
Ao longo destes 9 anos várias personalidades têm acompanhado as Jornadas, este ano tivemos o privilégio de contar com a presença e intervenção do Sr. Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Dr. Capoulas Santos, na sessão de encerramento.
O Hospital Veterinário Muralha de Évora apostou novamente em parcerias. Realizaram-se as 1ªs Jornadas de Sanidade Cinegética com o
apoio da Waves Portugal e as 3ªs Jornadas em Animais Exóticos em colaboração com o Monte Selvagem Reserva Natural.
As Jornadas e Sanidade Cinegética decorreram também acima das nossas expectativas bem como as 3ªs Jornadas em Animais Exóticos,
este ano dedicadas a Aves – Cuidados Veterinários e bem-estar.

A qualidade técnica ímpar deste evento bem como a dedicação de todos os nossos parceiros têm tido um papel fundamental no crescimento e sucesso do evento.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.