Diario do Sul
Twitter rectangular

Acidentes rodoviários

Alentejo reduz vítimas nas estradas mas já morreram 23 pessoas em 2017

Os acidentes rodoviários nas estradas dos três distritos alentejanos provocaram 23 mortos entre 1 de janeiro e 7 de agosto, o que representa menos três vítimas face às 26 ocorridas no mesmo período do ano passado e menos 16 do que em 2015. Os números foram revelados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), que reúne dados da PSP e da GNR.

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redação

18 Agosto 2017

As estatísticas dão conta da ocorrência de mais vítimas mortais no Baixo Alentejo (11) traduzindo mais uma do que em igual período de 2016 e menos 13 face a 2015, enquanto Portalegre registou uma redução face ao ano anterior, passando de dez para seis. Tinham sido sete em 2015. Já o distrito de Évora lamentou seis mortes este ano, tal como em 2016, depois das oito de há dois anos.

O número total de sinistros na região é de 2657 (Beja 1215, Évora 873 e Portalegre 569) quando há um ano os três distritos alentejanos somavam 2591 acidentes. Ou seja, a estradas registaram este ano mais 66 colisões e despistes comparando com 2016.

Já os feridos graves também registaram uma ténue redução equivalente a menos cinco vítimas, baixando de 138 para 133, enquanto em 2015 a região lamentava 140 feridos graves.

Por distritos, os dados agora revelados nos cadernos da ANSR mostram que Beja continua a merecer as maiores preocupações da região, seguindo a tendência dos últimos anos. O Baixo Alentejo exibe os números mais elevados. Além das 11 mortes o distrito já lamentou este ano 50 feridos graves, depois dos 53 de há um ano e dos 60 de 2015. Évora registou 36 feridos, menos um do que há um ano, enquanto Portalegre teve 47 vítimas, menos uma do que em período homólogo de 2016.

Mas ainda é preciso recuarmos até 2014 para encontramos um dos anos com menos sinistros e vítimas mortais da década. Já praticamente do final do ano Beja lamentava 17 mortes em 1674 acidentes, Évora 15 (1278 acidentes) e Portalegre oito (996 sinistros). Ou seja, um total de 40 mortes.

Também os feridos graves foram em menor número somando a relação dos três distritos. Apesar de Beja ter registado 90 e Portalegre 64, Évora ficou-se pelos 35, dando um contributo decisivo para baixar a estatística.

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas cujo óbito foi declarado no local do acidente ou a caminho do hospital. De acordo com as autoridades, a maioria dos acidentes acontece em retas, com embates ocorridos devido a despistes, enquanto uma significativa percentagem dos sinistros teve origem no excesso de velocidade, embora os documentos permitam concluir que os automobilistas estão mais cautelosos na questão da velocidade excessiva.

Já em relação ao uso do telemóvel mantêm-se os abusos entre os condutores, tendo sido detetadas centenas de infrações por uso indevido do telefone durante a condução nas nossas estradas. Recorde-se que a GNR tem desenvolvido operações para  alertar os automobilistas para os riscos do uso do telemóvel ao volante com ações de sensibilização, mas também com o aumento da fiscalização rodoviária para detetar este tipo de infrações.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.