Diario do Sul
Twitter rectangular

Coro Polifónico Eborae Mvsica e Alaúde

Retratos de amor e saudade na Renascença

Fonte: Nota de Imprensa

13 Setembro 2017

Canções de amor (correspondido ou não) de saudade e até de traição perfazem algumas das temáticas dos madrigais da renascença, dos quais o Eborae Musica quis trazer para esta apresentação. Ao som do Alaúde (André Barroso) o Coro Polifónico “Eborae Mvsica”, sob a direção de Eduardo Martins, fará por criar reminiscências desse período na sala da Renascença no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora. O Concerto tem lugar no dia 16 de Setembro pelas 21h30.

Programa : Ay linda amiga- Anónimo (Cancioneiro do Palácio) ; Dindirindin – Anónimo; Ti ti le li - Jacques de Wert (1535-1596) ; Je ne l’ose dire - Pierre Certon (1520-1572) ; Il est bel et bon - Pierre Passereau (1509-1547) ; Instrumental ; Amor, dicea (Lamento della Ninfa) - Monteverdi (1567-1643) ; Instrumental; Il bianco et dolce cigno - Arcadelt (1507-1568) ; Matona mia cara -Orlando di Lasso (1532-1594) ; Greensleeves - Henrique VIII (1491-1547) ; April is in my mistress face - Thomas Morley (1558-1602) ; Fair phyllis I saw - John Farmer (1570-1601) ;

O Coro Polifónico “Eborae Mvsica” fez em Setembro de 1987 a sua primeira apresentação pública, integrada no acontecimento cultural “Os Povos e as Artes”. Tem realizado diversas atuações ao longo da sua existência, interpretando não só polifonia da Escola de Música da Sé de Évora (sécs. XVI e XVII), como também outras obras de diferentes épocas. Destacam-se nas suas atuações a participação nas Jornadas Internacionais “Escola de Música da Sé de Évora”, acontecimento que a Associação Eborae Musica organiza, anualmente no mês de Outubro. Nas deslocações internacionais destaca-se a participação na Europália 91 na Bélgica e a participação no 10º Concurso Internacional de Música Sacra de Preveza, Grécia onde ficou classificado em 3.º lugar, obtendo a medalha de bronze. Dirigido atualmente por Eduardo Martins, foi dirigido antes por Adelino Santos, Francisco d’Orey e Pedro Teixeira.
André Barroso (Alaúde, Tiorba) - estudou guitarra clássica na Academia dos Amadores de Música e no Conservatório Nacional de Lisboa. É licenciado em História pela Universidade Clássica de Lisboa. Em 1989 estabeleceu-se em Basileia/Suiça onde iniciou o estudo de alaúde com Nuno Torka Miranda. Posteriormente trabalhou com Oliver Holzenburg, Schizuko Noiri e Hopkinson Smith . Entre 1992 - 1997  prosseguiu os seus estudos de  Alaúde, Tiorba e Baixo contínuo com o professor Rolf Lisveland em Trossingen, na Alemanha. Desde 1999, em Portugal , faz e fez  parte de  diferentes agrupamentos de Música Antiga em que se destacam :  ” Ensemble Barroco do Castelo”, “Duo Verancitá”,e “7 Lágrimas Ensemble”.
Maestro Eduardo Martins foi aluno do Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian em piano, tendo concluído o respetivo curso já no Conservatório de Música de Coimbra. Licenciado em Direção Coral e Formação Musical na Escola Superior de Música de Lisboa, encontra-se neste momento a frequentar o mestrado em Direção Coral com os maestros Paulo Lourenço e Alberto Roque, sendo maestro assistente do Coro de Câmara da mesma escola (ESML). Foi Diretor Artístico do Grupo Coral Laudamus – Ovar (1999-2011) e Coro de Letras da Universidade de Coimbra (2004-2006). Atualmente dirige o Grupo Coral ViVaVoz – Oeiras, Coro Tejo e Coro Sacro da ESML – Lisboa, Coro da Universidade de Lisboa e o Coro Polifónico Eborae Musica (desde 2013).

Este Concerto é organizado pela Associação Musical “Eborae Mvsica” com apoios por parte do Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, Câmara Municipal de Évora e órgãos de Comunicação Social.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.