Diario do Sul
Twitter rectangular

ÉVORA - Câmara Municipal e Assembleia Municipal continuam comunistas

Carlos Pinto Sá reeleito com maioria absoluta

O distrito de Évora volta a colorir-se de rosa. O Partido Socialista ganha a Câmara Municipal de Alandroal e muda as paletas da cor neste território. Os movimentos fazem-se valer novamente em Estremoz, Redondo e Borba. Em Évora, capital de distrito, a CDU mantém-se inabalável no poder autárquico. A maioria absoluta conquistada há quatro anos pela CDU e por Carlos Pinto Sá volta a ser uma realidade para a Câmara Municipal de Évora.

Autor :Redação

03 Outubro 2017 | Publicado : 11:17 (03/10/2017) | Actualizado: 11:34 (03/10/2017)

O presidente reeleito salientou o reconhecimento que o povo eborense teve para o executivo, tendo dado a oportunidade de concretização dos compromissos que foram assumidos durante a campanha. Carlos Pinto Sá lembrou que ainda há muitos problemas por resolver, mas garantiu que a CDU vai manter-se fiel aos seus intentos, mantendo o ADN do projeto político. Elsa Teigão, candidata do PS, mostrou-se cautelosa com os resultados, que não estavam encerrados ainda até à hora de fecho desta edição, salientando os dados eleitorais nas freguesias rurais.
A cabeça de lista da Coligação Democrática Unitária à Câmara Municipal de Évora agradeceu ao povo de Évora “pela confiança na CDU”. Lembrou que esta força política atravessou “extraordinárias” dificuldades porque encontrou “uma câmara falida, arruinada, descredibilizada e um concelho em queda e desprestigiado”.
Carlos Pinto Sá realçou, contudo, que o executivo fez um grande esforço tendo levado à recuperação do município. “Este é um tempo novo, um tempo de reconquista e de dar um salto qualitativo que faz falta ao caminho de Évora”, frisou. E acrescentou: “Mesmo sem grande obra física, sem grande obra para mostrar, o povo de Évora compreendeu”.
O presidente reeleito reconheceu que ainda há problemas para resolver. “As finanças do município são graves, mas estão em recuperação. Por isso, queremos iniciar este mandato apontando num investimento estruturante”, referiu, lembrando que existem cerca de 20 milhões de euros para projetos diferenciados, entre os quais “a recuperação do salão central, a requalificação do Palácio D. Manuel, do Teatro Garcia de Resende, recuperação das habitações, irmos às freguesias e aos bairros. Não temos recursos para fazer tudo, mas faremos o que é possível”.
Uma outra palavra de Carlos Pinto Sá foi para os “sapientes da CDU que trabalharam durante quatro anos, com todos, em prol da Câmara e do município e fizeram uma campanha sem atacar ninguém, apresentando as nossas propostas. Esse mérito é coletivo da CDU”.
Aos adversários políticos, o candidato vencedor afirmou estar disponível para trabalhar em conjunto com os que queiram trabalhar por Évora, “com críticas que são fundamentais na democracia, respeitando as ideias de cada um e mantendo o ADN do nosso projeto político”.

Candidata socialista salientou subida do PS nas freguesias rurais

Elsa Teigão afirmou que, embora não sendo ainda detentora dos resultados finais, “pois não temos ainda a certeza sobre os eleitos para a Câmara e para a Assembleia Municipal, visto que faltam apurar duas freguesias”, evidenciou o reforço do Partido Socialista nas freguesias rurais. “Temos que destacar as percentagem dos Canaviais, em Torre de Coelheiros, em São Bento do Mato, em São Miguel de Machede, em São Manços e São Vicente do Pigeiro, tendo mantido São Sebastião da Giesteira e Boa Fé”, vincou.
A candidata socialista realçou que, em termos de votos absolutos, “o PS sobe a votação e notámos uma descida por parte da CDU”. E adiantou: “Gostaríamos que os resultados tivessem sido mais elevados para o PS”.
Quanto à abstenção, lamentou que continue a ser tão elevada. “Fizemos o que podíamos ter feito e empenhámo-nos”, asseverou.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.