euroace
Diario do Sul
diario jornal

Projeto FEMME foi apresentado em Évora

Associação Mãe Limão promove empreendedorismo materno

Autor :Marina Pardal

Fonte: Redação

21 Fevereiro 2018

“Promover e incentivar o empreendedorismo materno, através da difusão de boas práticas e da capacitação pessoal e profissional das mulheres” é a missão da Associação Mãe Limão (AML).
Esta é uma associação para a promoção do empreendedorismo materno em Portugal, criada a 8 de fevereiro de 2016 e que tem sede em Évora.
O seu objetivo é “capacitar as mulheres que, enquanto mães, contribuem para valorizar o desenvolvimento social e económico das comunidades e promover as suas ideias de negócio”, pode ler-se na página de internet da associação.
No dia em que a Mãe Limão cumpriu dois anos de existência, foi feita uma sessão de divulgação do projeto FEMME - Fostering the exchange of practices to Promote Mumpreneurship in Europe, aprovado no âmbito do programa europeu Erasmus+, sendo a AML parceira desse projeto.
O evento decorreu nas instalações do NERE – Núcleo Empresarial da Região de Évora e contou com a presença dos parceiros europeus do FEMME.
À margem da iniciativa, Paula Gentil Santos, presidente da Direção da AML, disse ao Grupo Diário do Sul que “esta associação nasceu para promover o empreendedorismo materno, ou seja, para capacitar pessoal e profissionalmente mães que querem iniciar o seu negócio, querem dar um novo impulso ao negócio que já tinham ou querem arranjar um novo rendimento para as suas famílias”.
Realçou que “os serviços prestados às nossas 'clientes' são na área da mentoria, de criação de redes, estabelecimento de contactos, ajuda na criação de projetos de investimento, candidaturas a projetos, entre outros”.
De acordo com a mesma responsável, “estamos agora a iniciar o nosso primeiro projeto, o FEMME”, explicando que “é uma parceria europeia entre oito entidades, incluindo a AML, no âmbito de um programa Erasmus e consiste num intercâmbio de boas práticas ao nível do empreendedorismo materno nos países que compõem o FEMME”.
Paula Gentil Santos realçou que “o projeto tem dois públicos-alvo prioritários”, apontando que, “por um lado, destina-se às mães empreendedoras e, por outro lado, aos formadores e mentores que dão apoio a essas mães”.
Esclareceu ainda que “vamos fazer ações específicas para ambos os públicos, exposições locais de negócios de mães empreendedoras, um seminário final, entre outras iniciativas”.
A presidente da AML sublinhou também que “o FEMME teve início em novembro de 2017 e tem uma duração de 24 meses”, focando que “a apresentação realizada na passada quinta-feira foi destinada, sobretudo, aos 'stakeholders', nomeadamente organizações, entidades ou pessoas que na comunidade possam também disseminar o projeto”.
Relativamente ao trabalho da AML, Paula Gentil Santos destacou que “damos apoio a mães de qualquer ponto do país, mas temos um âmbito de intervenção mais aprofundado a nível concelhio e regional, até porque temos parcerias nesta zona”.
Quanto a casos concretos, disse que “começámos a apoiar a Mafalda Silva, da ExplorAlentejo, que deu o seu testemunho durante a apresentação do FEMME”.
Além disso, a mesma responsável frisou que “outras mães já participaram num outro projeto que é o storytelling e que consiste em contar em vídeo exemplos práticos das suas ações”.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.