euroace
Diario do Sul
diario jornal

António Costa e Mariana Rajoy presentes

Dia histórico em Elvas no lançamento da ferrovia para ligar Alentejo à Europa

“Há um novo tempo na economia portuguesa”, segundo garantia deixada em Elvas pelo primeiro-ministro, assegurando que as regiões mais desfavorecidas do país vão beneficiar em breve. A afirmação de António Costa foi feita ao lado do presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, apanhando a boleia do lançamento do concurso para construção da ferrovia entre Évora e Elvas, o chamado Corredor Internacional Sul que lá para 2022 deverá estar a ligar Sines a Badajoz. Com linha direta para o centro da Europa.

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção Diário do SUL

09 Março 2018

Trata-se, afinal, do maior investimento em ferrovia dos últimos cem anos, como sublinhou António Costa, sendo ainda o segundo maior investimento de sempre no Alentejo, apenas superado pela barragem de Alqueva.

Mas o primeiro-ministro foi mais longe, voltando a dar a aposta na ferrovia como exemplo de otimismo nacional. “É um tempo novo que se iniciou quando no ano passado já aumentámos em 20% o investimento público, em que este ano vamos aumentar em 40% o investimento público e é investimento público naquilo que é essencial à vida das pessoas e ao futuro da economia”, ressalvou António Costa.

O chefe do executivo destacou o investimento que está apontado à saúde, à educação ou às infraestruturas, “seja de regadio, seja de transportes que permitirão aumentar a produtividade da nossa economia, mas também a nossa capacidade de exportar cada vez mais e continuar a crescer”, insistiu.

Sobre a linha Évora-Elvas estão em causa 80 quilómetros de ferrovia com um orçamento próximo dos 500 milhões de euros. Na prática, quer isto dizer que as empresas ou os consórcios interessados já podem levantar o caderno de encargos da obra, sendo que além deste concurso, o primeiro-ministro e a comissária europeia dos Transportes, Violeta Bulc, presidiram ainda à cerimónia de consignação da obra de modernização da linha entre Elvas e o Caia (11 quilómetros, que entra em funcionamento nos primeiros meses de 2019.

Enquanto o presidente da Câmara de Elvas, Nuno Mocinha, se congratulou com o dia histórico vivido pela cidade, também sublinhado pelo ministro das Infraestruturas, Pedro Marques, Mariano Rajoy elogiou a formalização do compromisso assumido por ambos os governos ainda em 2017.

“Todos sabemos que o projecto europeu tem o objetivo da integração, da união entre cidadãos e a superação de barreiras”, recordou Rajoy, acrescentando ser “o signo do nosso tempo”. Referiu ainda que ontem foi dia de dar as “boas-vindas às obras ferroviárias que vão contribuir para conectar e aproximar ainda mais a nossa sociedade”, sustentando que os troços ferroviários entre Évora-Elvas e Elvas-Caia “correspondem a esse objetivo de capital importância. Unir os nossos cidadãos e melhorar o seu dia a dia”.

Recorde-se ainda que esta linha ferroviária continua a ser principal ligação em falta do corredor ferroviário Atlântico da Europa e por isso o Governo português congratula-se com o facto de ter Espanha e a Europa ao seu lado. A União Europeia ao nível do financiamento e no caso de Espanha na coordenação das obras, dado que as obras já estão a avançar no lado de lá da fronteira.

Aliás, por terras espanholas avançam nos próximos 24 anos 2 mil quilómetros de nova linha de alta velocidade, mas em Portugal, como disse António Costa ao jornal espanhol ABC, "a alta velocidade é um tema tabu na política portuguesa e vai sê-lo por muito tempo".

Também presente em Elvas esteve a comissária europeia para os transportes, tendo Violeta Bulch destacado a importância de ligar Sines, onde reside o grande porto de águas profundas, ao centro da Europa, insistindo na necessidade de completar o chamado Corredor Atlântico.

 

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.