euroace
Diario do Sul
diario jornal

Fábrica já deu início ao processo para ser “Empresa Amiga dos Bebés” reconhecida pela UNICEF

TE Connectivity inaugura segunda sala de lactação em Évora

Autor :Marina Pardal

Fonte: Redação

21 Março 2018

Um dos assuntos na ordem do dia em termos de nutrição é a importância do aleitamento materno, destacando-se os seus benefícios quer para o bebé, quer para a mãe.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, “as crianças devem fazer aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses e a partir dessa idade devem receber alimentos complementares, devendo manter o aleitamento materno, pelo menos, até completarem os 2 anos”.
Contudo, continuar a amamentar após o regresso ao trabalho acarreta dificuldades. Nesse sentido, a TE Connectivity, localizada em Évora, está a dar passos relevantes na promoção e apoio à saúde e bem-estar da sua população.
No Dia Internacional da Mulher, assinalado a 8 de março, foi inaugurada a segunda sala de lactação da TE Connectivity, ao mesmo tempo que está a desenvolver uma candidatura à UNICEF para se tornar “Empresa Amiga dos Bebés”.
À margem da sessão de inauguração, Cristina Pires, Legal Entity Controller da TE Connectivity de Évora, explicou que “este projeto partiu da iniciativa de um grupo de mulheres de dentro da fábrica, que se reúne para discutir diversos assuntos da organização”.
Precisou que “temos muitas mulheres na faixa etária reprodutiva e, como é natural, põe-se esta questão da amamentação, tendo surgido a ideia de criarmos dentro da TE Connectivity uma sala própria para que possam proceder à extração e armazenamento do leite”.
Segundo Cristina Pires, “foram avaliadas várias circunstâncias que nos levaram a constatar que este era um projeto para avançar e ter sucesso”, adiantando que “o projeto é mais ambicioso e envolve também os homens que são pais, pois queremos que tenham conhecimentos sobre os seus direitos”.
A criação destas salas de lactação partiu de uma iniciativa de Ana Salvador, técnica de recursos humanos da TE Connectivity de Évora. “Quando vim para a TE Connectivity, ao deparar-me com uma quantidade de mulheres tão grande, achei que era importante um projeto nesta área e tentar sermos uma 'Empresa Amiga dos Bebés'”.
Em termos de números, Ana Salvador revelou que “temos cerca de 39 por cento de mulheres a trabalhar connosco e a maioria encontra-se em idade fértil”, evidenciando que “temos cerca de 2000 colaboradores na TE Connectivity”.
A mesma responsável lembrou que “desde 1 de junho do ano passado que já temos uma sala de lactação na outra fábrica, situada no Parque Industrial e Tecnológico de Évora, além de darmos formação com o apoio da enfermeira Antónia Martins e de querermos criar um canal para os serviços de saúde, tendo como objetivo criar uma rede na comunidade”.
De acordo com Antónia Martins, enfermeira da Unidade de Saúde Familiar Planície, “este é um projeto que tem um ano, no qual os responsáveis da fábrica acharam por bem encontrar um espaço condigno para ajudar as mulheres nas suas questões do aleitamento, de bem-estar e de ressalvar os direitos da mulher”.
Lembrou que “as mulheres não perdem nenhum dos direitos adquiridos das horas de aleitamento e das pausas já existentes durante o trabalho”, garantindo que “foram acrescidas duas pausas, acordadas em reunião de concertação com chefes de equipa”.
Antónia Martins descreveu que “foi preparado um espaço com ponto de água para lavar as mãos e um frigorífico para acondicionar o leite que os filhos depois irão consumir”, lembrando que “para ter melhores condições de vida e de saúde, tal como o seu filho, é muito pouco digno uma mulher ter de extrair leite numa casa de banho, por exemplo”.
Focou ainda que “o projeto envolve também os homens que aqui trabalham, mas numa outra vertente pedagógica”.
A mesma enfermeira esclareceu que “no caso da mulher grávida, já era programada a sua licença de maternidade, mas no caso do pai, a sua licença de paternidade não era programada e, numa linha de produção, 30 dias faz muita diferença, tendo sido fomentada a necessidade de criar uma ponte de diálogo em relação aos homens que acabou por levar a todo este projeto”.
Relativamente ao objetivo da TE Connectivity em tornar-se uma “Empresa Amiga dos Bebés”, Antónia Martins salientou que “há hospitais e centros de saúde amigos dos bebés, mas em termos de empresa amiga dos bebés, a única que formalizou a sua candidatura junto da UNICEF em Portugal foi a TE Connectivity Portugal, em setembro passado”.
Relatou que “há vários passos preconizados pela Organização Mundial de Saúde para esta classificação e estamos a fazer um trabalho nesse sentido, inclusive junto da comunidade trabalhadora”.
A mesma enfermeira reforçou ainda que “tudo isto tem a ver com a responsabilidade social da própria empresa, a qual tem este compromisso social e está a desenvolvê-lo na plenitude”, confessando que “agrada-me muito que esteja a ser feito de forma pioneira aqui em Évora”.

A opinião das mães

Ana Bravo tem uma filha com oito meses e está a amamentar, contando que já utiliza a sala de lactação agora inaugurada.
“Antes da sala estar pronta, eu fazia a extração de leite na enfermaria, mas agora usufruo deste espaço”, disse esta mãe.
Na sua perspetiva, “é um espaço acolhedor e suficiente para nós, pois é agradável, tem torneira para lavar as mãos, material descartável para a extração do leite para quem precisar, e o frigorífico para colocar o leite, pois a minha filha consome o leite que tiro”.
Ana Bravo referiu que “é habitual dizer-se que os bebés amamentados são mais saudáveis e eu, até agora, tenho notado isso com a minha”, realçando que “este projeto é uma forma da empresa incentivar a amamentação”.
Tânia Mira, grávida de 16 semanas, tem uma opinião semelhante. “Já tenho uma filha e quando ela mamava tinha de ir à casa de banho extrair o leite, agora tenciono vir a usar a sala”, frisou, considerando que “esta sala vai facilitar esse processo”.
Para esta mãe, “é uma boa forma de incentivar as mulheres a darem mama até mais tarde, até porque muitas mulheres deixam de o fazer quando começam a trabalhar, porque acabam por não conseguir, pois no trabalho não têm forma de extrair o leite”.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.