euroace
Diario do Sul
diario jornal

Plenário de transição da presidência da EUROACE aconteceu em Évora

“A ligação ferroviária de Sines a Madrid fará a economia regional potenciar-se e internacionalizar-se”

Foi com orgulho que o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Alentejo (CCDRA) e presidente da EUROACE, Roberto Grilo, disse ter chegado ao fim de quatro anos do mandato. A afirmação assentou na possibilidade de ter sido concretizada a nova linha ferroviária Sines e Caia (Elvas), destinada a mercadorias e com ligação a Espanha. O responsável adiantou que o transporte de passageiros é desejável, mas avançou que, neste momento, a prioridade de Portugal não é tanto a circulação de pes

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

19 Junho 2018

Roberto Grilo, que presidiu à EUROACE nos últimos quatro anos e até ontem, considerou que o trabalho realizado pelas três regiões (Alentejo, Centro e Extremadura) permitiram projetar os diferentes territórios. “Os nossos objetivos foram superados. Obviamente que não dependeram daquilo que era a dependência da presidência, mas foram consumadas algumas questões”, sustentou. E exemplificou: “Foi levado por diante uma estratégia de especialização inteligente conseguindo juntar aquilo que eram as estratégias de cada um dos territórios e organizar uma estratégia comum à eurorregião”.

Face a isto, o presidente da CCDRA afirmou que agora há um trabalho de desafio para a nova presidência, ou seja, para os próximos quatro anos, com vista a que surja um novo patamar da cooperação que “tem a ver com a preparação do próximo ciclo de fundos”.

No que diz respeito à nova ferrovia, Roberto Grilo lembrou que os concursos nacionais estão lançados e as obras estão a ser feitas por troços com os documentos da avaliação de impacto ambiental a seguir os seus trâmites. “Junto à fronteira já há trabalhos a decorrer”, frisou.

A seu ver, há que ligar aquele que é um dos maiores portos de referência da Europa, Sines, que está no território da região Alentejo e que tem um grande contributo para os números nacionais. “Através deste projeto e com a ligação ao centro da Europa, toda a economia regional pode potenciar-se e internacionalizar-se”.  

 “Quando nascer a plataforma logística de Badajoz, que vai ser construída no próximo ano, temos de ser capazes de integrar todos os recursos logísticos da zona”, sustentou, defendendo que a futura plataforma logística, cujo “documento que a formaliza já foi assinado, vai ser ibérica e associa as duas regiões, o Alentejo e a Extremadura”. E acrescentou: “Nós queremos pontes, não queremos barreiras, daí que a localização em ambos os territórios seja o ideal porque juntos seremos melhores”.

Recorde-se que o troço da nova linha ferroviária entre Évora e a fronteira do Caia, integrado no Corredor Internacional Sul, vai custar mais de 500 milhões de euros, com apoio de fundos comunitários, sendo expectável que as obras comecem até março do próximo ano.

Presidente da Junta da Extremadura

defendeu que a linha chegará ao transporte de passageiros

No plenário de transição da presidência da EUROACE esteve também presente o presidente da Junta da Extremadura espanhola, Guillermo Fernández Vara que defendeu que esta linha ferroviária deve ser explorada de forma conjunta por Portugal e Espanha. O autarca espanhol justificou a necessidade de “unir o milhão de habitantes da Extremadura aos quatro milhões que vivem nas regiões limítrofes, para que haja uma frequência suficiente que faça com que os comboios passem e sirvam as regiões”.

No entanto, Guillermo Fernández Vara foi mais longe e afirmou aos jornalistas que o futuro da nova ferrovia também irá contemplar o transporte de passageiros. “A ligação ferroviária chegará ao transporte de passageiros, não tenho qualquer dúvida”, salientou, reforçando que a ligação dos “portos de Setúbal, Lisboa e Sines a Madrid, pela Extremadura não invalida o transporte de pessoas”.

De acordo com a agência Lusa, a cerimónia de lançamento do concurso para o troço ferroviário entre Évora e a fronteira do Caia, junto à fronteira com a Extremadura espanhola, aconteceu no início de março.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.