euroace
Diario do Sul
diario jornal

EDIÇÃO DAS PISCINAS TEVE LUGAR EM ÉVORA

POUPANÇA, HISTÓRIA E MÚSICA FORAM TEMA DOS DIRETOS

Não há alentejano que não conheça as piscinas de Évora. Onde quer que que vamos ou com quem falemos a piscina é sempre uma referência à infância.

Autor :Leonor Centeno

23 Agosto 2018

Sara Dimas Fernandes, vereadora da Câmara Municipal de Évora, esteve em direto com o Grupo do Diário do Sul para a Rádio Telefonia do Alentejo e recordou os velhos tempos. Em entrevista conjunta com o presidente da UNESCO, Aires, referiu a importância da reciclagem da água. “A Câmara tem tentado sensibilizar a população para a reciclagem da água. Penso que a geração mais velha e a mais nova já está consciente no que toca a esta problemática, mas a geração do meio ainda tem um grande percurso e esse parte da consciência de cada um. Por exemplo, a água que deixamos a correr antes de tomarmos banho deveria ser colocada num recipiente para depois ser usada nas descargas do autoclismo. Esta seria uma forma de poupar”, refere a vereadora. Sara Fernandes afirmou ainda que “as piscinas são a nossa praia” e por isso mesmo devem ser valorizadas e tratadas. Questionada sobre a possibilidade de haver um upgrade ou uma melhoria deste espaço, a vereadora respondeu que mais importante que modernizar é melhorar o espaço. “Os chapinheiros tiveram uma intervenção bastante significativa no que diz respeito à poupança da água, porque a água era mudada todos os dias e isso trazia um gasto ambiental bastante pesado. Hoje conseguimos trazer melhorias na medida em que tratamos da água sem que seja necessário essa mudança diária”, diz.

 Mas apesar do local ter sido perto da água, a conversa não rondou apenas o tema da poupança e das preocupações. Francisco Bolas, empresário da ótica Havaneza, veio dar outra visão aos diretos. Segundo o empresário, antes de existirem as piscinas muitas pessoas pagavam 25 escudos para ter acesso aos tanques. Refrescar não era um direito, mas sim um luxo. Ao encontro das palavras de Francisco Bolas esteve o editor Paulo Piçarra que recordou a época como sendo tradicionalmente conservadora. “Na altura os homens e mulheres não podiam andar de fatos de banho porque não eram bem vistos. Temos que olhar para a época e perceber que a visão era outra”, ri-se Paulo, em tom sério.

 As piscinas não foram as únicas a nascer nos anos 60, a banda “Os vagabundos do ritmo” também nasce por volta desta altura. Neste período, os Beatles (o grupo musical mais bem-sucedido e aclamado da história) surge para revolucionar e agitar o universo do Rock n' Roll. Com eles apareceram bandas do mundo inteiro e o grupo de Francisco Bolas (“Os vagabundos do ritmo”) foi uma das que veio para agitar a população eborense. “Éramos muito novinhos quando criámos a banda e, na altura, foi uma grande revolução. Lembro-me de ser necessário termos a autorização dos pais para tocar nos concertos até tarde. Eram outros tempos”, confessa. Perto do bar das Piscinas estão várias fotografias emolduradas a preto e branco. Duas das molduras têm a banda do empresário e, à primeira vista, o estilo de fotografia e as roupas fazem vir logo à cabeça os Beatles. O mesmo estilo de roupas, penteados e forma de se posicionarem nas fotografias. Até aqui a conversa correu épocas, poupanças, vivências, memórias e outros assuntos, mas e quem lá estava a usufruir deste azul-turquesa?

 Crianças e monitores enchiam o espaço das piscinas. Mochilas no chão, toalhas estendidas e boa disposição. Aqui havia espaço para correr, nadar e brincar sem atropelos. Questionadas sobre se era hábito virem a este lugar, um grupo de crianças e jovens (com idades compreendidas entre os 11 e 13 anos) responderam em unanimidade que “sim”. “Fazemos parte do clube de ténis que tem ATL durante o Verão e distrai-nos com várias atividades. Competições, piscina, e muito mais. Hoje viemos aqui”,diz Ana, a única rapariga no meio de seis rapazes. “Gosto muito de estar com os meus amigos, mas às vezes precisam de uns calduços”, ri-se.

 A manhã terminou com o fecho do Presidente dos Centros da UNESCO, Aires, e o editor Paulo Piçarra a convidar todos a desfrutarem deste espaço único: as Piscinas Municipais de Évora.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.