Diario do Sul
AQUAPORTIMÃO

Balanço dos Censos Sénior

Há 9.633 idosos a viver sozinhos ou isolados no Alentejo

A Guarda Nacional Republicana sinalizou 9633 idosos que vivem sozinhos ou isolados nos três distritos do Alentejo no decorrer da operação Censos Sénior, realizada na reta final de 2018, representando menos 378 pessoas face a 2017.

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

16 Janeiro 2019

Os distritos de Beja e Portalegre registam os números mais preocupantes, estando entre as regiões do país onde há mais idosos entregues a si próprios.
Segundo os resultados agora anunciados pela GNR, Beja é o distrito alentejano com o maior número de idosos a viverem sozinhos ou isolados ou em situação de vulnerabilidade, em razão da sua condição física, psicológica, ou outra que possa colocar a sua segurança em causa. Foram sinalizados 3715, depois de no ano de 2017 os militares terem apurado 3846, o que traduz uma redução de 131 pessoas. Já Portalegre está na segunda posição regional, com um total de 3156 idosos sinalizados contra os 3172 dos anteriores Censos, representando menos 16 casos. 
Já o distrito de Évora surge com um registo de 2762 idosos sinalizados pelos militares da GNR depois dos 2993 de 2017 (-231). 2018 regista mesmo o valor mais baixo dos últimos anos, depois do Alentejo Central apresentar um registo de 2837 idosos em 2016 e dos 2853 de 2015.  As situações de maior vulnerabilidade foram reportadas às entidades competentes, sobretudo de apoio social, no sentido de fazer o seu acompanhamento futuro.
Segundo fonte da GNR, a operação Censos Sénior - dirigida a pessos com mais de 65 anos -  visa “identificar a população idosa com o objectivo de atualizar os registos das edições anteriores e identificar novas situações”, sublinhando que desde o ano de 2011, em que que foi realizada a primeira edição da operação, vinham sendo sinalizados cada vez mais idosos a viverem sozinhos e/ou isolados ou em situações de vulnerabilidade, mas 2018 traduziu uma inversão da tendência em todo o território alentejano.
Fonte oficial diz que “durante a operação, os militares privilegiaram o contacto pessoal e a realização de ações em sala, no sentido de sensibilizarem este público-alvo para que não adotem comportamentos de risco, evitando que se tornem vítimas de crimes, como furtos, roubos ou burlas.”
A GNR acrecenta que desde 2011 tem peocurado construri uma base de dados geográfica, cada vez mais completa, “proporcionando assim um melhor apoio à nossa população idosa, o que certamente tem contribuído, por um lado, para a criação de um clima de maior confiança e de empatia entre os idosos e a GNR e, por outro, tem potenciado uma segurança efetiva e o aumento do seu sentimento de segurança.”
A nível nacional a operação “Censos Sénior 2018” permitiu sinalizar 45.563 idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, garantindo a GNR que continuará, ao longo do ano de 2019, a acompanhar os idosos sinalizados, através de visitas regulares às suas residências, no sentido de realizar mais ações de sensibilização e fazer a avaliação da sua segurança.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.