MALO
Diario do Sul
CCDR Portugal 2020

Sinalização

Ponto negro para linces vai ter bandas sonoras em Mértola

Em 2018 três linces ibéricos morreram atropelados na Estrada Nacional 122, perto de Mértola, tratando-se já de um ponto negro com elevada taxa de mortalidade para a fauna selvagem.

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção «Diário do SUL»

10 Abril 2019

Eis a razão que leva a secretária de Estado do Ordenamento e Conservação da Natureza, Célia Ramos, a anunciar que vão ser implementadas medidas para garantir mais segurança aos linces naquela zona do Alentejo, sendo a forma de não deitar por terra todo esforço feito por Portugal e Espanha na reintrodução da espécie no meio ambiente.

Entre as prioridades definidas por Célia Ramos está a aplicação de sinalização que em breve vai alertar os automobilistas para a existência dos linces ibéricos nesta zona do concelho de Mértola que abrange cerca de oito quilómetros, além da “colocação de barras sonoras que constituam um aviso aos animais de que um carro se está a aproximar”, segundo declarações de Célia Ramos.

Um trabalho que está a ser feito em conjunto com a empresa Infraestruturas de Portugal, numa altura em que Portugal e Espanha se preparam para apresentarem uma candidatura de 20 milhões de euros ao programa Life onde as questões da sensibilização do público para a necessidade de preservar o lince estarão muito presentes.

De acordo com a mesma governante, apesar de se registarem algumas mortes, sobretudo na zona de Mértola, a verdade é que o programa de reintrodução do lince “está a ter sucesso”, tendo sido identificados e monitorizados em Portugal 64 animais. Dados oficiais indicam que desde 2015 terem foram libertados 37 linces ibéricos, tendo já nascido 45 animais em meio natural. No total, em Portugal e Espanha há cerca de 650 animais na natureza.

Uma das primeiras medidas de proteção da espécie, que antecedeu o início do seu regresso ao ambiente, passou pela colocação de triângulos com a cabeça estilizada de um lince. Mesmo ainda antes do sinal de trânsito constar no Código da Estrada foi homologado, passando a ser encontrado nas bermas das vias alentejanas.

A ideia foi introduzir um alerta para que os condutores saibam que por ali existem estes felinos e que a qualquer momento podem vir a atravessar a estrada. É que os automóveis são uma das grandes ameaças da espécie, já que muitos linces ibéricos têm morrido atropelados em Espanha.

O projeto da colocação das novas placas ambicionou sensibilizar os condutores para que reduzam a velocidade a tempo de travar caso sejam surpreendidos pela presença de um lince ibérico, considerado já como sendo o felino mais ameaçado do mundo, encontrando-se em risco de extinção

A intenção do Ministério do Ambiente é alargar o território deste animal para que dentro de três anos, ele chegue também à zona da Malcata, onde já existiu uma comunidade e cujo parque natural tem como símbolo o lince ibérico.

No final de 2018, perto de Córdoba, um lince ibérico apareceu morto com 300 chumbos no corpo. Na semana passada, uma fêmea apareceu também morta a boiar num charco na província de Sevilha. A secretária de Estado do Ordenamento e Conservação da Natureza avança que os casos estão a ser investigados e não há ainda qualquer explicação por parte das autoridades espanhola.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.