auchan
Diario do Sul
euroace resumen

Universidade de Évora no primeiro projeto nacional integrado na Rede Internacional de Observatórios de Turismo Sustentável

Autor :Nota de imprensa

Fonte: Universidade de Évora

02 Outubro 2019

A Universidade de Évora recebe o primeiro projeto nacional integrado na Rede Internacional de Observatórios de Turismo Sustentável da Organização Mundial de Turismo (INSTO). O “Alentejo Sustainable Tourism Observatory” (ASTO) vai monitorizar o desenvolvimento do turismo sustentável ao nível do território Alentejo (NUT II), área que abrange os distritos de Portalegre, Évora, Beja, e parte dos distritos de Setúbal e Santarém.
 
Esta rede pretende apoiar a melhoria contínua da sustentabilidade no contexto do sector turístico a nível mundial e fomentar uma maior proximidade entre os destinos que pretendem aumentar o seu nível de conhecimento em prol de uma gestão responsável no uso de diversos recursos. 

Como o faz? Estimulando o desenvolvimento de uma estrutura de partilha de informação que permita a monitorização sistemática, atempada, regular e credível do desempenho das atividades turísticas e dos seus impactos. Sediado no Tourism Creative Lab/CIDEHUS da Universidade de Évora, o ASTO resulta ainda de uma parceria estratégica com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo/Ribatejo e o apoio do Turismo de Portugal, assumindo parcerias com outras instituições do ensino superior, nomeadamente o Instituo Politécnico de Portalegre e de Santarém.

As atividades de capacitação preliminar para a implementação do ASTO, a decorrer em 2019, têm o apoio financeiro do Turismo de Portugal e da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, ERT. Entre as atividades mais relevantes a concretizar, até ao final deste, destaca-se a planificação e operacionalização do website, ferramenta essencial de comunicação, mas também de captação, armazenamento e difusão de informação. A equipa do ASTO encontra-se, também, a trabalhar na formulação de abordagens metodológicas a adotar para desenvolver o sistema de indicadores definidos pela INSTO, que pretende focar 9 áreas centrais de monitorização dos destinos: satisfação local com o turismo; benefícios económicos do turismo; emprego; sazonalidade turística; gestão energética; gestão dos recursos hídricos; gestão das águas residuais; gestão dos resíduos sólidos e governança.

Em junho passado, foi lançado o primeiro inquérito para apurar a perceção dos residentes na região Alentejo sobre os impactes do desenvolvimento da atividade turística. Na fase de recolha de informação, atualmente em curso, o inquérito abrange 34 concelhos da região Alentejo. A opinião dos residentes é essencial, na medida em que estes são importantes agentes da atividade turística e influenciam o processo de desenvolvimento dos concelhos onde residem. Por esse motivo, compreender as suas perceções é de extrema relevância no âmbito da monitorização do desenvolvimento sustentável no Alentejo. Com o intuito de iniciar o processo de planeamento participativo, decorreu, no passado dia 18 de julho na Entidade Regional de Turismo do Alentejo, uma reunião de apresentação e discussão dos trabalhos em curso e a desenvolver no âmbito do ASTO. Participaram da reunião a equipa de investigadores do CIDEHUS que integram o projeto e o Presidente da ERT Alentejo.

A monitorização da atividade turística ao nível local coloca-se hoje na agenda dos vários atores que diretamente se relacionam com dimensões de planeamento ou gestão do desenvolvimento turístico. Neste sentido, por solicitação da Câmara Municipal de Évora, o Laboratório de Turismo do CIDEHUS, produziu o relatório da Evolução do Turismo da cidade de Évora entre 2013-2017.

O estudo surge da necessidade que a Câmara Municipal sentiu de analisar a evolução da procura e oferta turística da cidade, em profundidade, para iniciar a discussão sobre a eventual implementação da taxa turística na cidade de Évora. Assim, o estudo pretendeu diagnosticar/caracterizar a atividade turística na cidade de Évora, tanto na dimensão da sua oferta turística, mas sobretudo cruzando com a dimensão da procura turística, incluindo indicadores de “pressão turística”.

Com o objetivo de suportar a discussão da implementação da taxa turística na cidade de Évora, considerou-se pertinente incluir, complementarmente, uma análise comparativa de alguns indicadores turísticos de Évora com outras cidades do continente português que têm implementada a taxa turística, ou anunciaram intenção de a impor. A discussão pública dos resultados do relatório decorreu no passado dia 27 de junho, na Câmara Municipal de Évora, com a participação de várias entidades públicas e privadas do turismo local. 

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.