Diario do Sul

A importância dos nomes de pessoas e marcas

27 Janeiro 2020 | Publicado : 14:55 (27/01/2020) | Actualizado: 14:48 (21/02/2020)

Todas as pessoas e todas as empresas têm nome. É algo que sabemos e temos por garantido e que, como tal, pouco questionamos. Estudos das áreas da Psicologia, Sociologia e Antropologia, no entanto, preocupam-se com estas questões. Venha saber a efetiva importância dos nomes para as pessoas e as marcas.

Estamos habituados a tratar-nos pelos nomes e a referir-nos às lojas e marcas utilizando os seus nomes. Talvez por isso, a naturalização do nome gera uma despreocupação face ao mesmo. Sendo encarado, muitas vezes, simplesmente como a forma de identificar algo, o nome nem sempre recebe a importância que lhe é devida, enquanto elemento aglomerador e criador de identidades, individualidades e unicidade.
Várias teorias levantadas por estudos das ciências humanas têm estudado a relação entre os nomes, a personalidade, a interação social e até mesmo o sucesso, concluindo que o impacto deste pode ser maior do que o inicialmente expectável.
Sendo um elemento que acompanha a vida das pessoas (ou marcas) existe uma necessidade de pensar a atribuição do mesmo de forma cautelosa, para melhorar, tanto quanto possível, as experiências futuras. Por esta razão, poderá nem sempre ser simples escolher o nome de um local, de um negócio ou de uma criança.
A escolha de um nome tem vários elementos, que passam pela sua significação, pela sonoridade, pela intenção e a facilidade em ser identificado e memorizado.
O papel dos nomes é efetivamente fundamental e, por isso mesmo, exploramos hoje a importância dos nomes de pessoas e marcas. Saiba mais sobre esta questão.

 

Pessoas e empresas: o momento de lhes conferir identidade

O nome é o primeiro passo da identidade de uma pessoa e, segundo a Psicologia e a Sociologia, o nome próprio trata-se de um aspeto importante para garantir o futuro de uma pessoa a nível pessoal, educativo, cultural e profissional.
Sendo um dos principais traços da identidade, este confere ao indivíduo caraterísticas que lhe permitem ser uno e único, passando a fazer parte de todo o processo de desenvolvimento e imprimindo-se na personalidade.
A escolha do nome de um filho é, por isso, uma questão que exige, por norma, uma grande ponderação junto dos pais. Da mesma forma, quem cria um negócio, quer que a sua empresa recém-nascida tenha também um nome que se adeque perfeitamente.

Se, no caso das pessoas, a questão pode ser mais complexa, no caso das empresas existem já aliados de peso que podem ajudar a garantir a escolha de um bom nome. Alguns parceiros irão até permitir que o faça, de forma gratuita, com recurso que permite escolher um bom nome para a empresa.
A escolha de um bom nome pode fazer a maior diferença no momento de edificar uma empresa, já que, tal como acontece para as pessoas, o nome pode ser orientador do percurso do negócio e motivar, assim, o seu sucesso. Sendo um dos primeiros elementos de contacto entre a loja e o potencial público-alvo, este nome deve garantir que carrega traços de identidade que definam o setor que integra, o produto (ou tipo de produtos) que comercializa e os valores que pautam a sua ação.
De facto, uma marca com um nome bem construído facilitará, não só todo o processo de e-marketing, mas também uma criação mais simples de todos os restantes elementos da identidade da marca, tais como slogan ou logótipo.

O nome da empresa no caminho para o sucesso

No momento de dar nome à sua empresa, terá de considerar diversos aspetos, no sentido de garantir que a marca se torna sonante e que lhe destina, nesta nomenclatura, o sucesso.
Para começar, o nome deve ser sonante e corresponder às caraterísticas, setor, princípios e valores da marca. No encontro com o nome da marca, esta deverá, portanto, despertar sensações e sentimentos positivos no público.
Recomenda-se que se evitem os nomes mais comuns e repetitivos, já que estes acabam por dificultar a permeabilidade (já parca) do mercado. Nomes que soem a outros ou que remetam para marcas já existentes podem criar alguns sentimentos dúbios no consumidor, incluindo a falta de confiança na marca.
A relação do nome com os produtos comercializados pode também existir, embora tal não seja obrigatório. Fundamental será, no entanto, que o cliente se identifique com o nome e que este desperte sentimentos como a credibilidade e a confiança. Tendo isto em consideração, considere qual é o seu público-alvo e o que este procura na sua experiência de consumo.
Por fim, quando se cria uma empresa digital é necessário ainda que o nome pondere aspetos práticos. A existência de um domínio de Internet livre com o mesmo nome, por exemplo, é fundamental para garantir que o site está alojado num espaço de fácil acesso para os consumidores. O encontro rápido e simples do site da marca ajudará a melhorar o potencial de sucesso da empresa.

 

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.