Diario do Sul
Twitter rectangular

Pioneirismo no processo de vinificação no Alentejo permite o nascimento do “Vinho da Água”

Ervideira submerge 30.000 garrafas na Albufeira de Alqueva

A Ervideira, produtor vitivinícola do Alentejo, colocou 30.000 garrafas do seu topo de gama, o Conde D’Ervideira Reserva Tinto 2014, na Albufeira de Alqueva, junto á Amieira Marina. Estas garrafas vão aí estagiar a 30 metros de profundidade durante 10 meses de onde nascerá o Conde D’Ervideira Vinha da Água Reserva Tinto 2014.

21 Outubro 2015

Num processo inovador e pioneiro no Alentejo, a Ervideira, pretende obter um vinho bastante mais intenso devido à ausência total de luz que aquele ambiente irá proporcionar a estas garrafas, bem como o facto de estarem num habitat cuja temperatura é de 17ºC em qualquer altura do dia ou do ano, irá permitir-lhes repousar de forma consistente.

“Com esta técnica pioneira no Alentejo pretendemos recuperar uma história de séculos, nomeadamente em situações de naufrágio de barcos e naus, quando os vinhos que transportavam aí ficavam até serem descobertos. Uma vez descobertos, estes vinhos apresentavam melhorias consideráveis ao nível da consistência, estrutura e potencial de envelhecimento, sendo vinhos verdadeiramente únicos”, explica Duarte Leal da Costa, diretor executivo da Ervideira.

Este Conde D’Ervideira Vinho da Água é produzido a partir da seleção dos melhores lotes das castas Touriga Nacional, Aragonez, Tinta Caiada, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon, vinificadas casta-a-casta. Para o primeiro ano a Ervideira irá ter 30.000 garrafas para colocar no mercado, no entanto está já a preparar-se para aumentar a produção já a partir da vindima de 2015. A sua comercialização será feita quer em Portugal, quer em todos os 20 países de exportação.

“Dada a experiência efectuada durante o ultimo ano, com algumas garrafas, prevemos que este vinho esteja destinado a ser um verdadeiro sucesso no mercado, pois os consumidores irão querer provar a sua irreverência e inovação e a sua qualidade fará com que o consumidor o volte a comprar, bem como escolhê-lo para oferecer aos seus amigos”, afirma Duarte Leal da Costa.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.