Diario do Sul
Twitter rectangular

“Transalentejo - percursos pedestres do Alqueva” já está no trilho

O objectivo é atenuar a sazonalidade atraindo caminheiros para o Alentejo

Tão antiga, a arte de andar voltou a estar na moda. O pedestrianismo, a marcha de montanha ou andar nos caminhos tradicionais e tirar partido da natureza é um nicho de mercado que vai ser dinamizado pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo. Onze percursos pedestres entre a zona do Alqueva e do rio Guadiana estão inscritos no guia que foi lançado, no passado sábado, em Rio de Moinhos, concelho de Borba. A edição integra o projeto “Transalentejo - percurso

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção D.S.

27 Outubro 2015

O livro, editado em português e em inglês, está homologado pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal e apresenta diferentes trilhos, devidamente estudados, mapeados e sinalizados e possibilita aos caminheiros a oportunidade de descobrirem as diversificadas paisagens que formam o vasto e rico património natural e cultural do Alentejo.

De acordo com António Ceia da Silva, presidente da Turismo do Alentejo, a criação destes percursos “é um dos momentos de estruturação do produto turismo natureza. É um projeto piloto que queremos estender a outras zonas do território”. O mesmo responsável explicou que o objetivo “é criar o produto, estruturar a rota, dar-lhe dimensão técnica e depois o percurso poder ser comercializado a nível nacional e nos mercados internacionais”.

O dirigente da Turismo do Alentejo salientou que estes percursos visam ainda atenuar a sazonalidade. “A ideia é que haja turistas que façam estes caminhos durante a semana e em todas as épocas do ano. Daí a relevância dos operadores que vendem este produto e interagem com a hotelaria e a restauração, criando-se dinâmicas de ocupação para toda esta zona”, sustentou.

António Ceia da Silva avançou que os caminheiros, munidos do guia, vão poder encontrara descrição pormenorizada do trajeto, assim como uma síntese de alguns dos pontos de interesse, um mapa com o traçado do percurso e os pontos e interesse assinalados.

Os 11 trajetos do guia são: “Fantástica Serra d’Ossa” (Borba), “Conquista de Terena” (Alandroal), “À Volta do Montado” (Mértola), “Trilho da Azenha da Ordem” (Serpa) e “Azenhas e Fortins do Guadiana” (Beja), “Amieira a Alqueva com o Lago a seus Pés” (Portel), “Pelo Património Vivo de Mourão” (Mourão), “Escritas de Pedra e Cal” (Reguengos de Monsaraz), “Da Serra Colorada ao Cerro do Calvário” (Barrancos), “Rota da Água de Moura” (Moura) e “Eremitas da Serra d'Ossa” (Redondo).

Projeto pioneiro na região arrancou
na “Fantástica Serra D’Ossa”

“Fantástica Serra d’Ossa” foi o primeiro percurso apresentado. O início é feito na Igreja de São Tiago de Rio de Moinhos, tem 17,3 quilómetros e com um grau de dificuldade alto. Para Quintino Cordeiro, presidente da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, este trajeto “vai dar a conhecer e divulgar a beleza da nossa paisagem natural, a nossa gastronomia e, tenho a certeza, que quem vier, gostará e vai voltar”. Uma ideia reiterada pelo presidente da Câmara Municipal de Borba, António Anselmo, que afirmou que “tudo o que traga pessoas ao concelho é uma mais-valia para todos, para o território e para os turistas que podem desfrutar da magnífica Serra d’Ossa”.

O autarca lembrou que estes percursos “sempre foram feitos pelas pessoas daqui, agora que estão organizados e promovidos de uma forma profissional esperamos que tragam também outro tipo de turistas, especializados. Queremos que quem nos visite, fique e regresse”.


Comercialização do produto está a ser feita
em Portugal e no estrangeiro

Este projeto contou com a colaboração dos municípios das áreas abrangidas e com o apoio técnico da Associação Heranças do Alentejo e da empresa de animação turista e turismo de natureza SAL - Sistemas de Ar Livre.

Francisco Zambujinho, membro executivo da Entidade Regional de Turismo e responsável pela Associação Heranças do Alentejo evidenciou o papel que estes percursos pedestres, sinalizados, homologados, que atravessam várias zonas do Alentejo, “podem trazer para incrementar movimento às economias locais”. Também José Pedro Calheiros, diretor-geral da SAL, afirmou ter uma programação regular de passeios pedestres, onde a gastronomia tem um papel fundamental. “É preciso realçar que os passeios são, na esmagadora maioria, circulares e dão resposta aos caminheiros individuais ou em grupos porque quando terminam o passeio estão outra vez no início, junto aos seus carros”, vincou.

Os amantes das caminhadas podem encontrar o guia com toda a informação, na sua versão impressa, nos postos de turismo e nas unidades de alojamento da região, enquanto a versão digital estará alojada na página da Internet www.visitalentejo.pt.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.