merida enamora 2
Diario do Sul
Twitter rectangular

Evento a favor da Pão e Paz

Eborenses e turistas provaram migas na Praça do Giraldo

Migas tradicionais, de azeite, espargos, gatas ou de tomate. Foi com esta variedade que o prato típico alentejano esteve em prova na Praça do Giraldo, em Évora, no passado sábado.

Autor :Marina Pardal

Fonte: Redacção D.S.

04 Novembro 2015

A iniciativa Migas Amigas, promovida pela Confraria da Moenga e pelo Município de Évora, esteve inserida no programa “Évora - Doze Meses de Boa Mesa” e contou com o apoio de um conjunto de parceiros.

Para além da prova das migas, decorreu uma mostra de vinhos da Comenda Grande e sessões de artesanato ao vivo por Xico Tarefa. Esta ação teve ainda um cariz solidário, já que os proveitos reverteram a favor da Pão e Paz, a par de se ter realizado uma recolha de bens alimentares para esta mesma associação.

O ganhão-mor da Confraria da Moenga, Augusto Vieira, salientou que “esta foi a segunda vez que realizámos o evento”, recordando que “somos uma confraria gastronómica que preserva os utensílios, usos e costumes alentejanos ligados à gastronomia”.

Explicou ainda que “foi uma organização conjunta com a Câmara de Évora e contámos com diversas parcerias”, especificando que “a confeção das migas esteve a cargo do Instituto de Emprego e Formação Profissional de Évora, tivemos o apoio da Comenda Grande para os vinhos e do Retail Meat para a carne”.

Augusto Vieira destacou também que “a iniciativa teve uma vertente solidária, já que os proveitos reverteram a favor da associação Pão e Paz”.

Frisou ainda que “com esta ação demos alguma atividade à Praça do Giraldo e promovemos a gastronomia do Alentejo”.

Por sua vez, Eduardo Luciano, vereador do Município de Évora, sublinhou que “este evento visou a divulgação da gastronomia típica da nossa terra, ao mesmo tempo que foi uma iniciativa solidária em benefício de uma das associações que pretende dar resposta aos problemas da pobreza e da fome no nosso concelho”.

O vereador evidenciou também “o facto da ação ter acontecido na rua”, considerando que “isso é cada vez mais importante”.

Lembrou que “no ano passado, a presença de turistas foi residual e este ano tivemos muita gente de muitos pontos do mundo, com um ar espantado a olhar para o que estava nos pratos”.

Na sua opinião, “temos cada vez mais turistas na nossa cidade e temos de fazer acontecer cada vez mais coisas na rua”.

O autarca frisou que “os turistas não vão à procura das coisas, tropeçam nelas na rua e é isso que temos de fazer acontecer na nossa cidade”, apontando que “a Confraria da Moenga é um parceiro que faz acontecer isso muito bem”.

Já o diretor do Centro de Emprego e Formação Profissional (CEFP) de Évora, Nuno Alas, disse que “à semelhança do ano passado, fomos desafiados para entrar nesta iniciativa solidária, ao mesmo tempo que se mostraram os nossos produtos tradicionais e a gastronomia”.

Acrescentou ainda que “o CEFP de Évora, tendo formação na área da cozinha e pastelaria, confecionou as migas com os produtos que a Confraria da Moenga entretanto angariou através de outros parceiros”.

Nuno Alas destacou também o facto “da mostra ter sido feita num local tão especial como é a Praça do Giraldo e ter sido uma iniciativa de caráter solidário, cuja receita reverteu a favor da associação Pão e Paz”.

Para o diretor do CEFP de Évora, “este género de ações tem ainda particular relevância para os formandos envolvidos, pois as questões das técnicas da confeção e da tradição também são assimiladas nestes contactos de proximidade com uma confraria”.

Em relação à vertente solidária, Miguel Breyner, voluntário da Pão e Paz, alertou que “estes eventos são cada vez mais importantes para a Pão e Paz, pois esta associação todos os dias mata a fome a muitas pessoas desta região e não tem qualquer apoio do Estado, portanto todas estas ajudas são fundamentais para a sobrevivência da instituição”.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.