Diario do Sul
Twitter rectangular

Estão na lista da Necessidade de Salvaguarda Urgente

Chocalhos dão mais um passo rumo ao Património Mundial

Vai ser preciso esperar pelos primeiros dias de dezembro para se saber se os chocalhos serão inscritos na lista do Património Cultural Imaterial da UNESCO, mas, para já, há boas notícias.

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção D.S.

09 Novembro 2015 | Publicado : 11:50 (09/11/2015) | Actualizado: 11:52 (09/11/2015)

A candidatura promovida pela Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo, em colaboração com a Câmara de Viana do Alentejo e Junta de Freguesia das Alcáçovas - onde está centralizada a arte chocalheira - encontra-se já entre os oito candidatos com estatuto de Necessidade de Salvaguarda Urgente. Vai avançar agora a análise do Comité, de acordo com as regras estabelecidas nas diretivasoperacionais.Depois é só esperar que o anúncio se faça ouvir a partir da Namíbia.

O presidente da ERT, António Ceia da Silva, recomenda prudência, recordando que há um ano em Paris, aquando da distinção do Cante, houve candidaturas que ficaram para trás, mas admite que o cenário é otimista. “O relatório técnico é muito positivo e considera mesmo a candidatura (cuja coordenação científica esteve a cargo de Paulo Lima) como sendo exemplar”, sublinha ao “Diário do Sul”.

O dirigente destaca ainda que se os históricos chocalhos conseguirem convencer a UNESCO, então o Alentejo passará a ser o destino em Portugal com mais bens classificados, o que traduz uma mais-valia na captação de turistas que procuram destinos “distintivos e identitários”.

Trata-se, afinal, recorda o dirigente, da “concretização de um plano estratégico que nós assumimos na ERT há uns anos atrás e que aposta na questão da identidade”, diz Ceia da Silva, considerando esta aposta “fulcral”. Daí que tenham sido elaborados um conjunto de dossiês com candidaturas à UNESCO, caso do Cante, a que se juntaram as Festas do Povo de Campo Maior, os tapetes de Arraiolos e a pesca artesanal em São Torpes.

“Temos agora esta notícia, que acho excelente para todo o Alentejo, embora tenhamos que aguardar serenamente pelo resultado final, já que o Comité Intergovernamental para o Património Imaterial vai agora apreciar e votar a candidatura”, insiste Ceia da Silva, numa altura em que o fabrico de chocalhos espreita a extinção, com cada vez menos mãos para produzir esta espécie de “GPS do gado”.

Foi, de resto, para não deixar “apagar do mapa” a arte chocalheira, que Portugal avançou com candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade com Necessidade de Salvaguarda Urgente, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), num processo liderado pela ERT

O pedido de inscrição vai ser analisado na 10.ª reunião do Comité do Património Cultural Imaterial da UNESCO, entre 30 de novembro e 4 de dezembro, na Namíbia. O que foi candidatado “é a construção de um objeto sonoro que é suspenso ao pescoço dos animais por uma coleira, que é um chocalho”, segundo o coordenador técnico do dossiê, Paulo Lima.

A distinção do fado, da dieta mediterrânica e do cante alentejano como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO beneficiou significativamente as regiões de origem, atraindo turistas nacionais e estrangeiros.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.