Diario do Sul
Twitter rectangular

No Monte Alentejano - Rossio de S. Brás

Paróquia “celebra” a amizade à volta do petisco

Instituição responde diariamente a quatro centenas de pessoas

Fonte: Redacção D.S.

10 Novembro 2015

O Centro Social e Paroquial de S. Brás promoveu no passado domingo à tarde, no Monte Alentejano, uma Feira de Pesticos cujo grande objectivo foi reunir a grande família que diariamente, de uma forma directa ou indirecta, colabora com a instituição à volta dos tradicionais paladares alentejanos.

Por outro lado, a necessidade de recolher fundos para as obras de manutenção e requalificação que alguns dos espaços já vão carecendo foi outro dos motivos que originou esta bonita festa, que mais parecia um enorme abraço, tal era o espírito de camaradagem e entre-ajuda patente entre aqueles que estavam a trabalhar e os demais comensais.

A atuação de um grupo coral alentejano e de alguns fadistas amadores foram outros dos atrativos da “Sabores e Saberes – Feira dos Pesticos”, que se prolongou durante a tarde, num alegre convívio e confraternização.

Para o Padre Manuel Vieira, “mais do que os fundos que possamos recolher no final do dia, que serão canalizados para as obras de requalificação que alguns ediíficios da Paróquia estão a necessitar, o mais importante é o convívio que todos estão a usufruir”.

“Esta foi a forma que encontrámos de dar visibilidade à instrituição, de mostrar aquilo que fazemos, e de envolver as pessoas – utentes, familiares e comunidade em geral”, disse ainda o pároco. “Somos uma instrituição já com uma dimensão considerável e é importante dar a conhecer a nossa intervenção na sociedade”, frisou ainda.

“Chegamos
a 400 pessoas”

O Centro Social e Paroquial de S. Brás lida diariamente com cerca de 400 pessoas, de todas as idades e no âmbiro das diversas valências que a intituição dispõe. “É uma luta constante para conseguir cumprir os nossos objectivos, mas é graças a pessoas como estas que estão aqui no Monte Alentejano e outras que, por questões particulares, não puderam estar aqui connosco, que conseguimos atingir os nossos objectivos”, refere ainda Manuel Vieira.

Creche, Jardim-de-Infância, Lar, Centro de Dia, Apoio Domiciliário, Centro de Acolhimento e Cantina Solidária são algumas das valência do Centro Paroquial e Social de S. Brás que exige uma equipa de profissionais multifacetada e muito empenhada.

A diretora da instituição, Conceição Murcho, realçou, por outro lado, o facto de a instituição estar muito virada para a comunidade e para a sociedade eborense em geral. “Procuramos estar à altura dos anseios e necessidade de quem nos procura. Infelizmente, por força das vicissitudes económicas dos últimos tempos, temos vindo a ser procurados por um número cada vez maior de cidadãos”.

“Apesar dos constrangimentos próprios de uma instituição com as características da nossa, que tem de fazer uma gestão muito apertada, temos conseguido dar a resposta que estes nossos utentes necessitam”, referiu ainda Conceição Murcho.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.