Diario do Sul
Twitter rectangular

Maria de Belém visitou instituições ligadas à ciência e inovação empresarial

Candidata reconheceu Évora como sede de um desenvolvimento de inovação tecnológica

A candidata à Presidência da República visitou, na passada sexta-feira, instituições ligadas à Ciência e Inovação de Empresas com o objetivo de ficar a conhecer melhor a atual realidade do concelho de Évora.

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção D.S.

18 Novembro 2015

Maria de Belém considerou muito importante a transferência de conhecimento das universidades para as empresas, bem como o empreendedorismo presente nestas incubadoras – EVORATECH, Núcleo Empresarial da Região de Évora e Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo – que, em seu entender, são uma mais-valia para a região pela atração de mão-de-obra e que pode ter um efeito benéfico para o país.

Após a visita às três instituições, Maria de Belém considerou este polo “importantíssimo para o desenvolvimento de Évora e para a fixação de quadros nesta região do país que tem um efeito reprodutor extraordinário”. Em seu entender, hoje em dia, sobretudo no domínio das novas tecnologias, “em que temos que trabalhar para ir ao encontro dos nossos clientes onde quer que eles estejam, é disparatado que estes centros estejam localizados em cidades ou centros onde é tudo mais caro”.

A candidata disse, assim, ver como “uma enorme potencialidade aquilo que existe aqui em Évora”, acrescentando a relevância da transferência de conhecimento da universidade para estas empresas, “quer ao nível da biotecnologia, quer no agroalimentar”.

Maria de Belém disse que Évora “é sede de um projeto específico de inovação tecnológica, logo merece ser visitada”, afirmando ser uma feroz defensora do combate às assimetrias, “não só no que diz respeito às pessoas e ao que pode incapacitar o seu desenvolvimento, como assimetrias entre territórios, na medida em que isso também provoca grandes dificuldades de acesso a serviços essenciais e às oportunidades que existem noutras zonas do território”. E prosseguiu: “Tenho lutado sempre para que haja iguais oportunidades e consequentemente direitos iguais”.

A candidata lembrou ainda que a está ligada a esta cidade por laços especiais “como objetivos conseguidos, nomeadamente como ministra da Saúde, que foi vencer o que impedia a abertura do Hospital do Patrocínio”.

“Candidatura visa
que portugueses tenham
confiança, autoestima
e que Portugal, visto
de fora, seja respeitado”

Em declarações exclusivas ao “Diário do Sul”, Maria de Belém garantiu que este caminho que está a fazer corresponde ao que tem sido a sua vida até hoje. Por isso, disse que caso seja eleita, os portugueses podem esperar desta candidata o cumprimento da Constituição da República. “Cumprir, fazer cumprir e respeitar a Constituição”, frisou, adiantando ser esta a parte matricial do seu mandato, “na medida em que o Presidente da República tem as competências que estão inscritas na Constituição e não tem outras. Mas entre as funções que estão inscritas há estilos e interpretações dessas mesmas competências. E a minha fala por si, na forma como eu interpretarei as funções”.

Maria de Belém anunciou que, para além daquilo que é a aplicação imediata das competências definidas na Constituição da República Portuguesa, “farei um trabalho de mobilização dos portugueses em torno de causas que sejam elas próprias importantes para garantir o desenvolvimento do país, nomeadamente o combate às desigualdades, à pobreza infantil que compromete o potencial do seu talento, e às assimetrias do território”.
Definiu como um dos objetivos da sua candidatura: “fazer com que os portugueses tenham confiança neles próprios, autoestima e que Portugal, visto de fora, seja respeitado”. E acrescentou: “Uma das coisas com a qual eu não me conformo é com o facto de muitas vezes nas apreciações que são feitas e nas decisões que são tomadas, Portugal e os portugueses não serem respeitados”.

Maria de Belém comprometeu-se “a pôr a minha experiência profissional, toda a minha energia e combatividade aos serviços desses objetivos”, assumindo que “serei uma vencedora nesse combate”.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.