Diario do Sul
Twitter rectangular

Cidade Europeia do Vinho 2015

Reguengos passa testemunho à Itália

Em fevereiro de 2016, o título Cidade Europeia do Vinho, ostentado este ano por Reguengos de Monsaraz, vai passar para a cidade italiana de Conegliano Valdobbiadene. A nomeação foi conhecida depois da reunião da Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN), que teve lugar a 18 de novembro último, no Parlamento Europeu, durante a visita promocional da cidade alentejana a Bruxelas.

Autor :Bruno Calado Silva

Fonte: Redacção D.S.

27 Novembro 2015

“Foi uma reunião bastante importante onde se falou de alterações estatutárias, de objetivos da RECEVIN para um futuro próximo e em que se escolheu a próxima Cidade / Região Europeia do Vinho 2016, em Itália. Trata-se de um conjunto de 15 municípios que se juntaram em torno de Conegliano que aparentaram um grande programa com mais de 5,5 milhões de euros e que tenho a certeza que vai dignificar e dar continuidade ao projeto Cidade Europeia do Vinho”, afirmou o presidente do Município de Reguengos de Monsaraz, José Calixto.

Para a Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), membro da RECEVIN, o encontro de Bruxelas ficou ainda marcado pelo balanço feito sobre o desempenho de Reguengos de Monsaraz enquanto Cidade Europeia do Vinho 2015. Pedro Ribeiro, presidente da AMPV e vice-presidente da RECEVIN, não deixou, no entanto, de sublinhar que até 14 de fevereiro é ‘vindima’.

“Sei que Reguengos ainda tem, felizmente, muitos projetos e que há muitas ideias a fervilhar para concretizar até ao fim do seu ‘mandato’ como Cidade Europeia do Vinho, antes da passagem do testemunho a Itália. E devo dizer, enquanto presidente da AMPV, que nos devemos orgulhar pelo excelente trabalho que foi realizado em Reguengos. Estou certo de que honrámos um produto regional que, apesar de regional, tem um peso muito significativo para a economia nacional. Basta pensar que à volta do vinho gravitam uma série de atividades comerciais que hoje têm uma dimensão estratégica para o País, sendo que, só o vinho em si tem um peso muito significativo na balança comercial, em termos de exportações”, salientou Pedro Ribeiro.

O concurso Cidade Europeia do Vinho é visto pela RECEVIN como oportunidade única para as cidades e regiões de vinho, já que que lhes oferece uma projeção europeia do seu potencial económico, traços comuns e diversidades da cultura do vinho e do território. Ou seja, para estas cidades constitui-se como uma plataforma de divulgação da paisagem, da economia, da gastronomia, do património, incrementando assim o turismo e as trocas comerciais entre os diferentes estados-membros da União Europeia.

A RECEVIN conta com a participação e apoio das associações nacionais de cidades do vinho instituídas na maioria dos países membros da rede como a Alemanha, Áustria, Bulgária, Eslovénia, Espanha, França, Grécia, Hungria, Itália, Portugal e Sérvia, num total de mais de 800 cidades.

Conegliano, que lidera o projeto italiano, é um município da região do Vêneto, província de Treviso, no norte de Itália. Com cerca de 36 mil habitantes, é principalmente famosa pelos seus vinhos e pela paisagem composta por vinhas, vilas históricas e antigas igrejas e castelos.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.