Diario do Sul
Twitter rectangular

Certame

XVI Mostra de Doçaria de Alcáçovas presta homenagem aos chocalheiros

A partir de amanhã e até domingo, abre as portas ao público, em Alcáçovas, a 16ª edição da Mostra de Doçaria. Um fim de semana que promete adoçar a boca aos muitos visitantes esperados.

03 Dezembro 2015

Até 6 de dezembro, Alcáçovas reúne doceiros de todo o país, numa mostra organizada pela Câmara Municipal de Viana do Alentejo e Junta de Freguesia de Alcáçovas e que vai prestar homenagem aos chocalheiros da vila.

A Mostra de Doçaria tornou-se um dos principais eventos de inverno da região. O que tem de especial esta mostra?

A Mostra de Doçaria tem vindo a afirmar-se como um dos principais eventos da região nesta altura do ano pela qualidade a que já nos habituou e aos muitos visitantes que todos os anos passam pelo certame. Este evento tornou-se ainda um local privilegiado de encontro para muitas famílias que aproveitam para se reunir e conviver. O êxito da mostra deve-se sobretudo às doceiras e doceiros que todos os anos participam no certame, muitos deles desde a primeira hora, e que com a sua arte e sabor nos deliciam com as melhores iguarias.

Com cerca de 24 expositores, com particular destaque para os expositores do Concelho, reconhecidos pela qualidade dos seus produtos, os visitantes vão ter a oportunidade de apreciar não só a doçaria característica do concelho, como o Bolo Real, o Bolo Conde de Alcáçovas, as afamadas Sardinhas Albardadas e os Amores de Viana, mas também doçaria oriunda de outros pontos do país.

O que é que os visitantes podem ver na Mostra de Doçaria?

Queria destacar nesta edição da Mostra de Doçaria, que pretende ser um espelho da doçaria local e regional, a homenagem que a Câmara Municipal de Viana do Alentejo e a Junta de Freguesia de Alcáçovas vão prestar, no domingo, pelas 17h30, aos chocalheiros da vila, na semana em que a UNESCO classificou o fabrico dos chocalhos como Património Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente. Na cerimónia vai ser entregue a cada chocalheiro, a medalha alusiva à salvaguarda das artes chocalheira e esquilaneira, especialmente concebida para este fim, e que muito nos orgulha.

Pelo 4º ano consecutivo vai decorrer também o Concurso de Doçaria Conventual e Palaciana que pretende preservar e promover receitas tradicionais e impulsionar a doçaria característica do Concelho. Pretende-se ainda com este concurso incentivar a criatividade e inovação, o empreendedorismo, e quem sabe, a criação de um novo produto que possa ter sucesso no mercado.

No sábado, crianças e adultos podem participar num showcooking com a participação do formador Pedro Rolim, da Escola Profissional de Alvito.

Outro dos atrativos da Mostra de Doçaria é o programa cultural que inclui a dança e muita música. Pelo palco vão passar, ao longo do fim de semana, a Banda da Sociedade União Alcaçovense, José Liaça e Carlos Coincas, o grupo de dança da Junta de Freguesia de Alcáçovas, a Orquestra Royal, o Grupo Soul Gospel Project, os Cavaquinhos do Alentejo e as Vozes de Alqueva. A encerrar a Mostra de Doçaria, no domingo, vai estar o projeto A Monda.

À semelhança de anos anteriores, o cante alentejano, classificado o ano passado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO, está presente no certame mostrando as nossas raízes e identidade nas vozes dos grupos corais da freguesia de Alcáçovas.

Para ver ou participar há ainda atividades desportivas como a “Doce Caminhada” organizada pelo Alcáçovas Outdoor Trails/Associação dos Amigos das Alcáçovas, e o XVII Critério de Corta Mato Paulo Guerra, organizado pela Associação de Atletismo de Évora, CIMAC, Câmara Municipal de Viana do Alentejo e Junta de Freguesia de Alcáçovas.

Destaca-se ainda o Passeio Fotográfico Alcáçovas e para os mais jovens o programa Altas Horas que, a partir das ooh00, promete muita animação e música pela noite dentro, no pavilhão da Gamita.

A UNESCO classificou esta semana o Fabrico dos Chocalhos como Pa-trimónio Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente. Em que é que esta distinção irá beneficiar a arte chocalheira?

Em todo o país existem apenas 13 mestres chocalheiros, sendo Alcáçovas o local com maior número de chocalheiros em atividade. Tendo em conta que esta arte corre o risco de se extinguir, a Câmara Municipal de Viana do Alentejo e a Junta de Freguesia de Alcáçovas têm vindo, desde 2009, a apoiar a construção de um projeto que levasse à salvaguarda do fabrico dos chocalhos em Alcáçovas. Neste caminho, o Município de Viana do Alentejo e a Junta de Freguesia de Alcáçovas encontraram a Turismo do Alentejo e Ribatejo e o antropólogo Paulo Lima, o rosto da candidatura do Cante Alentejano, classificado no ano passado como património da humanidade. Esta parceria concretizou-se em maio de 2014, com a apresentação da candidatura do fabrico dos chocalhos a Património Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente à UNESCO.

Paralelamente à candidatura, está, igualmente, a ser desenvolvido um Plano de Salvaguarda com o objetivo de garantir a sustentabilidade e transmissão de uma arte que faz parte da identidade e da genuinidade do nosso concelho, em particular, e do Alentejo, em geral.

O fabrico do chocalho está enraizado nas nossas tradições, constituindo uma marca identitária não apenas de Alcáçovas, mas de todo o Alentejo.

O selo agora atribuído pela UNESCO ajudará a valorizar este património único e a salvaguardar uma arte que nos identifica como comunidade e que, ao mesmo tempo, pode constituir um importante fator de atração turística e desenvolvimento local, associado a uma enorme riqueza patrimonial que o Concelho de Viana do Alentejo já detém.

Esperamos, obviamente, que a conquista desta distinção facilite a preservação e proteção desta arte secular, apostando em medidas de salvaguarda e promoção turística da mesma.

No ano passado a Mostra de Doçaria mudou de local. Foi uma aposta ganha?

Sem dúvida. A mudança de local prendeu-se essencialmente com o facto de ser mais acessível e haver mais espaço para o estacionamento. No ano passado tivemos um feedback muito positivo quer dos visitantes quer dos próprios doceiros que ficaram agradados com a mudança de local.

Qual o impacto que a Mostra de Doçaria tem no concelho e na sua economia?

A Mostra de Doçaria gera um impacto direto bastante positivo a vários níveis. Desde logo, na economia loca, ao nível da venda direta na Mostra de Doçaria, mas também ao nível dos negócios que se perspetivam ao longo do ano. Depois, ao nível do turismo, restauração e alojamento local, que por estes dias tem uma maior procura.

Mas, o impacto indireto também tem grande importância através da promoção do que o concelho tem para oferecer, nomeadamente, a nossa cultura, a nossa identidade, os nossos produtos e que é difícil quantificar.

O Município pretende com a Mostra de Doçaria, à semelhança de outros eventos, apoiar todos os seus agentes económicos no desenvolvimento ou manutenção dos seus negócios, promover e preservar as tradições e cultura das suas gentes, onde a doçaria palaciana e conventual adquire particular relevo. Para além disso, fomentar ainda o turismo local e o desenvolvimento económico.

Quer deixar uma mensagem para que visitem a Mostra de Doçaria em Alcáçovas?

Quero deixar um apelo para que se desloquem até Alcáçovas nos dias 4, 5 e 6 de dezembro e apreciem a doçaria, um dos cartões-de-visita do nosso concelho, e desfrutem da programação cultural que vai decorrer ao longo do fim de semana e que é gratuita. Para além da doçaria, temos muito mais para oferecer: a gastronomia, o artesanato, o património e as nossas tradições. Aproveitem também para conhecer o fabrico dos chocalhos, classificado esta semana como Património Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente, o mais recente selo da UNESCO atribuído à região Alentejo, deixando o convite para a homenagem que vai ser feita a todos os chocalheiros e esquilaneiros da freguesia de Alcáçovas, no dia 6 de dezembro, a partir das 17h30, no espaço da Mostra.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.