Diario do Sul
Twitter rectangular

“Évora Solidária, Cidade Viva”

Animação total. Da música à moda passando pelos abraços e selfies

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção D.S.

17 Dezembro 2015

Tempo para a música no “Évora Solidária, Cidade Viva”, enquanto sobe ao palco da fama Leonor Andrade. Afinal, foi ela uma das “estrelas nacionais” que marcou presença no evento com um fator de atração adicional: A apresentação ao público do seu novo trabalho. “Estou muito contente por poder ter participado nesta iniciativa e ajudar quem mais precisa”, sublinhou a cantora que este ano representou Portugal no Festival da Eurovisão, desejando que “se façam mais coisas deste género, porque é muito importante este contacto com as pessoas na rua e perceber que elas nos conhecem e que apreciam o que fazemos”, disse.

Catarina Pires, produtora da Agência Blast, afinou pelo mesmo diapasão da cantora, tendo considerado “exemplar” o evento promovido pelo “Diário do Sul”, na sua vertente PME Social, em parceria com a Por-o-Alentejo, a que se juntou o apoio da Câmara de Évora e a Associação Comercial do Distrito, além da Fundação Alentejo e Instituto de Emprego e Formação Profissional.

A importância do evento
para quem aqui vive


“Isto devia ser seguido por outros concelhos, porque consegue dar uma ajuda à animação das terras, trazendo figuras públicas e músicos para darem a cara. É uma forma eficaz de promover o comércio”, disse, enquanto Cândido Ferreira, proprietário da Casa da Urra, confessava estar surpreendido com o interesse e empenho das figuras públicas nesta jornada alentejana.

“Eles têm dado uma grande ajuda a promover este nosso novo destino. Estou surpreendido pela forma interessada e curiosa como se têm dedicado a uma causa tão nobre e importante como são a solidariedade e a promoção do nosso comércio. Eles percebem a importância que isto tem para quem cá vive e cá tem os seus negócios”, rematou o empresário.

A quanto a ser mais

solidário depois da crise?

Agora a reportagem fixa-se por instantes sob as arcadas da Praça do Giraldo, a acompanhar duas das principais figuras da comitiva. A modelo e atriz Isabel Figueira e o apresentador José Figueiras. “Não, não somos irmãos. Embora o apelido seja muito parecido, o meu tem mais um ´s´. Porém, hoje é como se fôssemos”, ia respondendo em tom irónico o apresentador, sempre que os transeuntes lhe faziam a pergunta. E ainda foram alguns. Isabel experimentou chapéus, capotes, óculos e até pediu para ser fotografada ao lado de uma noiva.

“Évora é um encanto e com toda esta gente na rua, à nossa volta, torna-se numa cidade ainda mais acolhedora”, comentava ao “Diário do Sul”, acrescentando, em registo mais sério, que a crise em que o país mergulhou nos últimos anos “ajudou as pessoas a perceberem melhor o que é a solidariedade e a importância do voluntariado. Parece que hoje estamos mais próximos e que compreendemos melhor os problemas dos outros”, acrescentou entre beijos e abraços a quem passava.

Já José Figueiras alertava para a importância de se juntarem esforços habilitados “a promover o comércio local. Os centros comerciais fazem falta, sem dúvida, mas estas lojas de rua são o nosso comércio tradicional. São espaços que devem ser preservados, porque são eles que dão vida às cidades, para que se evite a desertificação”, sublinhou, enquanto ia tirando selfies ao lado de Isabel Figueira e fazendo posts no Instagram e Facebook. “Isabel, olha aqui tantos likes que já temos”. Não chegámos a ver quantos eram, porque as solicitações dos fans surgiam aos “magotes”.

Artistas sempre disponíveis
para regressarem ao Alentejo

Já antes, o cantor Edmundo Vieira tinha reunido à sua volta jovens admiradoras à procura da melhor foto. “Isto está a correr muito bem. O balanço é muito positivo, porque o público correspondeu em massa. Não sabíamos o que iríamos encontrar, mas a verdade é que a cidade está cheia, demonstrando que as pessoas perceberam que isto iria ser animado e corresponderam. Acho que, todos juntos, cumprimos a nossa missão com quem mais precisa, bem como com o comércio de Évora, que ficou a ganhar dinamismo com este evento”, sublinhou.

Ali ao lado, a também cantora Micaela deixava um desejo: “Espero que isto se repita por muitas vezes, porque foi muito bom e ajudou a promover estes produtos. Esta gente do Alentejo, esta boa-disposição, a forma como nos receberam, é algo fantástico que vou guardar. Estarei sempre disponível para vir e ajudar no que for preciso”, concluiu a artista.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.