acerca el otoño
Diario do Sul
Twitter rectangular

Empreendedorismo

Fábrica de 800 mil euros “nasce” em Ferreira do Alentejo para transformar frutos secos

Uma fábrica de transformação e comercialização de amêndoa, mas também de outros frutos secos, como nozes e avelãs, está em construção em Ferreira do Alentejo, num investimento de 800 mil euros da empresa Migdalo.

Fonte: LUSA

13 Janeiro 2016

As obras arrancaram no início deste ano, no Parque de Empresas local, e a unidade deve estar pronta até junho, revelou em comunicado a Câmara de Ferreira do Alentejo, no distrito de Beja.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da câmara, Aníbal Reis Costa, realçou tratar-se de “um projeto muito importante”, não só por criar postos de trabalho e envolver um investimento “de quase um milhão de euros”, mas também por “todo o potencial da cultura da amêndoa”.

Com a seca existente na região norte-americana da Califórnia, a “maior produtora de amêndoa do mundo”, há necessidade de “muita matéria-prima”, argumentou, indicando que, para fazer face a essa procura, “a produção de amêndoa na área do Alqueva pode vir a ser muito importante”.

A fábrica da Migdalo (que significa amêndoa em esperanto), empresa ligada à Agrobeja, já sediada naquele parque empresarial, envolve um investimento “na ordem dos 800 mil euros” e prevê criar, numa primeira fase, entre seis a oito novos postos de trabalho.

A unidade, segundo o município, vai servir para a transformação de frutos secos, nomeadamente para a despela e descasque da amêndoa, e posterior comercialização destes produtos.

“Vai poder receber amêndoa, mas também outros frutos secos, como nozes e avelãs”, acrescentou Aníbal Reis Costa, frisando tratar-se de “uma fábrica grande”, que está a ser implantada “numa área superior a meio hectare”, nos cinco lotes de terreno adquiridos pela Migdalo.

O objetivo da empresa promotora é que a fábrica labore, “não só com a produção própria, mas também e sobretudo com a amêndoa produzida na região, que abrange uma área entre os 15 e os 20 mil hectares”.

“Estamos a falar de todo o distrito de Beja, cujos produtores, naturalmente, irão deixar aqui o seu produto”, sublinhou o autarca.

Aníbal Reis Costa manifestou estar seguro de que, com este investimento, a cultura da amêndoa, que tem “grande aceitação internacional”, vai “proliferar em Ferreira do Alentejo e em concelhos vizinhos”.

“Vai aumentar de certeza a área plantada, até porque é uma cultura relativamente fácil de se desenvolver”, vaticinou.

O que poderá contribuir para o desenvolvimento do setor, com “elevado potencial” e que “pode constituir mais uma alternativa rentável para o regadio da região”, referiu.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.