Diario do Sul
Twitter rectangular

Candidato à Presidência da República, Cândido Ferreira visitou “Diário do Sul”

“É preciso uma magistratura de influência para apoiar a imprensa regional”

Cândido Ferreira esteve, ontem, nas instalações do grupo de comunicação “Diário do Sul”, no âmbito da visita que fez ao concelho de Évora. O objetivo foi conhecer, em pormenor, este grupo de comunicação social e o papel que desempenha em termos de informação na região.

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção D.S.

13 Janeiro 2016

O candidato presidencial considerou o “Diário do Sul” como um “ícone” da imprensa regional, de proximidade, tendo defendido uma “magistratura de influência”, capaz de a auxiliar a renovar-se e voltando a ter um papel ativo na sociedade.

O candidato presidencial decidiu inscrever na sua campanha, uma atenção muito particular sobre a imprensa regional que “foi fundamental na génese deste país e que, neste momento, está em retrocesso”. Em seu entender, é preciso chamar à atenção para ela e criar condições para que possa “renovar-se, rejuvenescer e voltar a ter um papel ativo”.

Embora tenha lembrado que o Presidente da República não tem funções deliberativas, Cândido Ferreira admitiu que o chefe de Estado pode ter “um magistério de influência” importante, “podendo ter que chamar a atenção do Governo para a distribuição de verbas publicitárias e outras comparticipações estatais que estão profundamente desequilibradas entre Lisboa e a paisagem que é Portugal”.

O médico e empresário anunciou que há uma medida que está, neste momento, a desenvolver e garantiu que, independentemente de vir a ser ou não Presidente da República, vai tentar levar até ao fim e que é a constituição do Conselho de Estado Social. “Esta entidade composta por um conjunto de cidadãos que voluntariamente apoiam o Presidente da República e representantes de uma série de instituições, entre as quais a Associação da Imprensa Regional, faz todo o sentido porque só assim, através de ligações muito diretas com a Presidência da República, o chefe de Estado pode estar em contacto direto com a sociedade e fazer as pontes que é necessário fazer”, sustentou.

Nas instalações do grupo de comunicação foi recebido pela administração e pelo fundador do jornal, Manuel Madeira Piçarra, tendo feito uma visita guiada sobre o espólio existente que conta a história da imprensa a nível regional.

Cândido Ferreira foi, de seguida, entrevistado na Rádio Telefonia do Alentejo, um órgão de informação pertencente ao mesmo grupo, onde em antena aberta explicou a razão de ter visitado o “Diário do Sul”, mas também por ter escolhido Évora, avançando que é uma cidade que “sofre com os problemas da interioridade e que, por isso, é também necessário que o Presidente da República diga qualquer coisa e expresse a sua preocupação”.

O candidato lembrou ainda, aos microfones da RTA, os objetivos da sua candidatura, nomeadamente, melhorar a vida das pessoas. Recorde-se que os compromissos que assume com os portugueses assentam em romper com os três D’s que, a seu ver, caracterizaram o mandato que agora cessa: o D do distanciamento em relação ao povo, o D da dependência em relação à classe política e aos banqueiros e o D do despesismo.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.