Diario do Sul
diario jornal

Na região Alentejo

Fundação Ilídio Pinho financia 20 projetos escolares

No âmbito da 13.ª edição do projecto ‘Ciência na Escola’ da Função Ilídio Pinho, subordinada à temática ‘A Ciência e a Tecnologia ao Serviço de um Mundo Melhor’, foram aprovados 20 projetos promovidos por diversas escolas da região Alentejo que, depois de validados por um júri regional, vão agora passar à fase de construção.

Autor :Bruno Calado Silva

Fonte: Redacção D.S.

18 Janeiro 2016

Na cerimónia de entrega dos diplomas e respetivos prémios de participação, que aconteceu na Direção de Serviços da Região Alentejo do Ministério da Educação, na passada quinta-feira, 14, o novo secretário de Estado da Educação, João Costa, assegurou estarmos perante “um projeto que leva a que os alunos criem, que façam investigação própria e ciência na escola. Temos um aqui um projeto com enorme potencial para demonstrar o papel da escola no que respeita à transformação dos alunos que por lá passam e, sobretudo, ao despertar da curiosidade intelectual”.

E estimular a vocação científica dos jovens na escola e promover a ciência como criadora de valor no tecido empresarial português são apenas dois dos objetivos com que a Fundação Ilídio Pinho se apresenta para contribuir para o desenvolvimento país. “Portugal só tem a beneficiar com a dedicação e sentido de missão que estes alunos e professores têm em comum. É o desenvolvimento do conhecimento sustentado na ciência e na dedicação notável e exponencial dos jovens e dos professores podem ajudar a ditar o futuro deste país”, afirmou Ilidio Pinho ao Diário do Sul.

A 13ª edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola”, foi lançada em 17 de setembro último, em Lisboa, e é fruto de uma parceria com o Ministério da Educação e o Ministério da Economia. Visa estimular o interesse de todos os alunos da Educação Pré-Escolar, dos 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário, pelas ciências e áreas tecnológicas através do apoio a projetos inovadores.

O tema deste ano letivo, é “A Ciência e a Tecnologia ao serviço de um mundo melhor”. O concurso de ideias desenvolveu-se numa primeira fase em que, das 1044 propostas apresentadas a nível nacional, se apuraram 522, sendo 20 oriundas das escolas alentejanas. Começa agora a fase de desenvolvimento com um orçamento de 500 euros atribuído a cada projeto.

Projetos como um sistema semi-automático de rega com aproveitamento das águas da chuva da Escola Secundária D. Manuel I de Beja, um aerogerador proposto pela Escola Secundária de Odemira ou um sistema de aproveitamento de energia da lama imaginado pela Escola Básica e Secundária de Almodôvar, podem vir, num futuro próximo, a serem replicados e até comercializados.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.