Diario do Sul
diario jornal

Cultura

Câmara Municipal de Évora celebra acordo para inventariação do Património Cultural Imaterial no Concelho

29 Janeiro 2016

Através do seu Centro de Recursos da Tradição Oral e do Património Imaterial, e do trabalho por este já desenvolvido até ao momento, a Câmara Municipal de Évora vai promover e apoiar trabalhos para a inventariação do património cultural imaterial do concelho. Nesse sentido, estabeleceu contactos e encetou relações com a Memória Imaterial – Cooperativa Cultural e o resultado é a celebração de um acordo de cooperação entre as duas entidades, o qual será assinado no dia 29, no edifício dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Évora, pelas 14h00.

O presidente da autarquia eborense, Carlos Pinto de Sá, e o investigador José Barbieri, pela Memória Imaterial – Cooperativa Cultural, são os signatários deste acordo.

A Câmara Municipal de Évora e a Memória Imaterial – Cooperativa Cultural partilham um interesse comum de recolher, preservar e divulgar elementos e práticas do património cultural imaterial, em especial da tradição oral.

O acordo que vai surgir entre as duas entidades visa a conjugação de meios, medidas e esforços para promover, no território do concelho de Évora, a investigação antropológica, etnográfica e museológica do património em questão. Pretende-se criar uma rede de parcerias institucionais que promova e facilite os trabalhos de levantamento e os estudos necessários ao registo e divulgação das manifestações da tradição oral que importa salvaguardar e valorizar.

Uma das mais significativas tradições da cultura popular do concelho de Évora, as Brincas deCarnaval, constituem o primeiro objecto de estudo e de inventariação a que se vão dedicar as partes envolvidas no acima referido acordo de cooperação, o Centro de Recursos da Tradição Oral e do Património Imaterial e a Memória Imaterial – Cooperativa Cultural.

Este ano os grupos de Brincas que vão animar o Carnaval de Évora são o da Casa do Povo dos Canaviais e o do Rancho Folclórico Alto Alentejo/Bairro de Almeirim. Mas outras formações congéneres ainda estão vivas no concelho de Évora, porém, correndo alguns riscos de descontinuidade, daí, também, a Câmara Municipal de Évora iniciar com a mesma o inventário do património cultural imaterial do concelho, pois é sua intenção inserir esta manifestação cultural popular no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.

A Memória Imaterial – Cooperativa Cultural é um organismo que tem a sua génese no projecto MemóriaMedia, por sua vez criado no seio do Instituto de Estudos de Literatura e Tradição: Património, Artes e Cultura (IELT), da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Nova de Lisboa.

No acordo de cooperação que vai estabelecer com a Câmara Municipal de Évora, aquela cooperativa irá, entre outras acções, prestar auxílio técnico na recolha e registo de manifestações culturais imateriais nas áreas do saber fazer, lugares, celebrações, contos e cantos, histórias de vida, expressões orais e práticas performativas.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.