Diario do Sul
diario jornal

Modernização dos espaços comerciais do centro histórico

Projeto da ACDE quer reunir comércio de Évora em portal online

Modernizar o comércio local do centro histórico de Évora é o principal objetivo de um projeto que está a ser promovido pela associação comercial deste distrito alentejano.

Autor :Marina Pardal

Fonte: Redacção D.S.

29 Janeiro 2016

Financiado pelo “Comércio Investe”, do IAPMEI, o “Compro em Évora” é uma iniciativa que tem como entidades consultoras as empresas KWL e Monstros & CIA.

A Associação Comercial do Distrito de Évora (ACDE) explica que este projeto é “direcionado para os estabelecimentos comerciais e pretende modernizar a oferta comercial através do aumento da atratividade dos espaços, promovendo também a proximidade com o consumidor”.

Para além disso, “conta com uma componente virtual através da criação do portal ‘Compro em Évora’”, segundo uma nota de imprensa da ACDE.

Acrescenta ainda que o objetivo é “incentivar a presença dos estabelecimentos comerciais de Évora nos suportes online, permitindo a fidelização de clientes e a dinamização da oferta comercial existente no centro urbano”.

A sede da ACDE acolheu, na passada quarta-feira, uma sessão de apresentação pública do “Compro em Évora”, contando com a presença de cerca de duas dezenas de comerciantes.

À margem do evento, a secretária-geral da ACDE, Mariana Candeias, disse aos jornalistas que “o projeto pretende alavancar o comércio tradicional de Évora, potenciando-o através das novas tecnologias”.

Explicou ainda que “queremos que os clientes possam consultar online os espaços que estão disponíveis e aquilo que existe nas diferentes lojas”.

Para além disso, Mariana Candeias sublinhou que “existe uma lacuna ao nível da sinalética e pensamos que a colocação de quiosques interativos (também previstos através do projeto) seria uma forma de conseguirmos combater essa falha”.

Esclareceu ainda que “nesses mapas vai constar a localização do património e dos estabelecimentos, servindo como guia do centro histórico”, adiantando que “a ideia era ter uma listagem com todas as lojas, mas em destaque vão estar apenas as lojas aderentes”.

Relativamente ao projeto, a secretária-geral da ACDE disse que “prevê a integração de 20 empresas”, frisando que “as ações só podem avançar se tivermos especificamente esse número de participantes”.

Revelou ainda que “já temos dez empresários inscritos e agora precisamos de mais dez para arrancar com as diferentes iniciativas”.

De acordo com Mariana Candeias, “os comerciantes que aderirem têm de fazer um investimento mínimo de cinco mil euros, sendo que 45 por cento desse valor é a fundo perdido”, focando que “esse investimento tem de ser utilizado para a modernização dos espaços comerciais”.

A mesma responsável prevê que “dentro de duas semanas estejam fechados os contratos com as empresas”, frisando que “até ao final deste ano todas as componentes do projeto deverão estar concluídas”.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.