Diario do Sul
Twitter rectangular

Estudo nacional

Difícil abrir negócios no Alentejo mas novas tecnologias já rendem

O primeiro estudo que reflete o sentimento de microempresas (até dez trabalhadores) e empreendedores de norte a sul do país, coloca Évora na cauda dos distritos onde é mais difícil abrir um novo negócio, segundo a avaliação feita pelos próprios empresários.

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção D.S.

24 Março 2016

O problema estende-se a Portalegre e Beja, embora em menor dimensão, mas a região exibe uma baixa situação económica e reduzidas perspetivas futuras das empresas para 2016. O Alentejo surge no fim da tabela do território português.

Segundo o Estudo Nacional de Competitividade Regional, elaborado pela plataforma Zaask, e que contou com a participação de mais de 1300 microempresas e empreendedores (que representam mais de 80% do tecido empresarial Português), Portalegre exibe dados que colocam mesmo o distrito na última posição onde os empresários são menos otimistas face à evolução económica de 2016 (3.31 média nacional e 2.83 no distrito numa escala de 5).

Já Évora fixa-se no último lugar relativamente à facilidade em abrir um novo negócio no distrito. Para os empresários da região, abrir um negócio é em média mais difícil do que para o resto do país. O estudo a que o “Diário do Sul” teve acesso indica ainda que a par dessa dificuldade, os empresários são também dos que menos aconselham a abertura de novos negócios na região.

Ou seja, os inquiridos colocam Évora no antepenúltimo lugar em relação a esta questão, com 3.18 numa escala de 5, quando a média nacional é 3,59. Os distritos de Beja (3.6) e Portalegre (3.8) surgem, neste caso, acima da média do país

Já no que diz respeito ao panorama económico, o distrito de Évora alcança os 2,12, à frente de Beja (1.8) e de Portalegre (2.0), embora estejam os três distritos, aos olhos dos empresários inquiridos, também abaixo da média nacional (2,47) tal como as perspetivas de evolução para 2016. Évora 3.1, Beja 3.0 e Portalegre 2.8.

Contudo, os empreendedores de Évora colocam o distrito acima da média nacional no conhecimento que têm sobre a existência de programas de networking – boa rede de contactos com uso das novas tecnologias, como as redes sociais - para as empresas (12% dos empresários conhecem, contra 10% a nível nacional).

Entretanto, mais de metade das empresas que participaram do estudo foram criadas há menos de cinco anos e quase todas (94%) têm até 10 colaboradores. Perto de metade dos inquiridos aconselharia o lançamento de um novo negócio no distrito em que se baseiam, sendo que Portalegre e Beja estão entre as regiões com mais destaque. Contudo, 35% dos empresários consideram que lançar um novo negócio é “difícil ou muito difícil”.

O mesmo estudo revela ainda que Beja é o distrito onde as empresas locais sentem menos acompanhamento por parte da administração central e local e onde é mais difícil recrutar.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.