acerca otoño 2
Diario do Sul
Twitter rectangular

Projeto português

Linha ferroviária entre Sines e Caia deverá ser eletrificada em 2017

As obras de eletrificação da linha ferroviária que vai ligar Sines à Extremadura espanhola deverão começar em 2017 no troço entre Elvas e o Caia, segundo o projeto apresentado pelo Governo português através do próprio ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, em reunião com o alcaide de Badajoz, Francisco Javier Fragoso, realizada em Lisboa. O presidente da Câmara de Elvas, Nuno Mocinha, também assistiu

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção D.S.

22 Junho 2016

Recorde-se que as intenções reveladas pelo ministro vão ao encontro do que é ambicionado por ambos os lados da raia, uma vez que, segundo os autarcas de Elvas e Badajoz, a eletrificação da linha de mercadorias será decisiva no impulso económico da região que passa estar bem mais próxima dos portos de Sines e de Setúbal.

Aliás, Francisco Javier Fragoso, que solicitou esta reunião com Pedro Marques, defendeu a importância de se avançar com este projeto, alegando que "a eletrificação vai tornar possível o transporte de passageiros” entre Badajoz e Lisboa, comprometendo-se a pressionar o Governo espanhol para que cumpra a sua parte do acordo.

Recorde-se que, como o “Diário do Sul” já noticiou, a linha ferroviária entre Évora e o Caia deverá vir a receber comboios de passageiros que farão ligação em Badajoz aos comboios de alta velocidade para Madrid, segundo o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, o que vai permitir colocar Évora apenas a 30 minutos de Badajoz e Lisboa a duas horas da cidade espanhola

A Comissão Europeia aprovou o projeto para o desenvolvimento da linha de alta velocidade que vai ligar Madrid à fronteira portuguesa do Caia, com passagem pela Extremadura espanhola. O investimento ronda os 310 milhões de euros e vai ser comparticipado pelo Fundo para o Desenvolvimento Regional Europeu com 205 milhões. Mas há uma curiosidade: o projeto fala da melhoria da ligação férrea entre “Madrid e Lisboa”, apesar de se saber que Portugal está fora do TGV.

Entretanto, ainda nas imediações da fronteira a Junta de Extremadura espera poder iniciar as obras da Plataforma Logística de Badajoz ainda no final deste ano, depois do impasse que se prolongou nos últimos tempos. Assim, quando o Governo espanhol aprovar provisoriamente o projeto, será iniciado um período de debate após o qual a plataforma será definitivamente aprovada para que o governo da Extremadura dê luz verde para o arranque das obras.

A diretora geral do Urbanismo e Ordenamento do Território, Eulalia Moreno, explicou que a Plataforma Logística de Badajoz é um projeto com estatuto de “Interesse Regional (PIR)”.

Isto depois de várias organizações extremenhas se terem vindo a manifestar preocupadas com o impasse em que mergulhou o projeto previsto para a zona da fronteira com Portugal. Lamentam que mais de um ano após o lançamento da primeira pedra continue sem haver qualquer evolução.

Os representantes das entidades patronais desta região espanhola pediram uma maior "flexibilidade" que permita desbloquear o projeto, dando luz verde ao início dos trabalhos no terreno "com urgência".

O projeto está definido para ocupar uma área de 60 hectares, tendo uma capacidade diária mínima de carga e descarga equivalente às 16500 toneladas, logo que esteja concluída a primeira fase da obra. O prazo de execução é de 20 meses, alavancado pelo investimento total de 19 milhões de euros, onde se incluem 13 milhões de euros para construção da plataforma logística e seis milhões de euros para as acessibilidades ferroviárias e estação de mercadorias.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.