Diario do Sul
Twitter rectangular

FEHISPOR

A feira que é de Portugal e Espanha já está de portas abertas em Badajozque

Assim se apresenta a 25ª edição da Fehispor, a feira de Portugal e Espanha, que abriu portas em Badajoz: Há moda, calçado, turismo, gastronomia, móveis e decoração. E ainda mais entre as 130 empresas e instituições que marcam presença no pavilhão do IFEBA. Por ali vão ficar até domingo, à espera de milhares de visitantes dos dois lados da fronteira. Ou da raia, como o leitor preferir.

Roberto Dores

09 Dezembro 2014 | Publicado : 11:59 (01/12/2014) | Actualizado: 12:10 (09/12/2014) | Fonte: Diario do SUL

Na inauguração estiveram presentes autarcas alentejanos e extremenhos, ao lado de empresários e responsáveis do Governo Regional da Extremadura, tendo destacado María José Solana, delegada da Feira Badajoz, que este ponto de encontro traduz uma “grande importância económica para a Extremadura e Alentejo”, alertando que a aposta surge canalizada para três vertentes: “visitantes, expositores e um amplo e importante programa de actividades”.

É por aqui que os responsáveis admitem estar a criar “oportunidades estratégicas transfronteiriças”, abrindo portas à promoção e pondo em cima da mesa a “cooperação empresarial”, tentando “impulsionar a internacionalização”, acrescentou María José Solana.

A edição deste ano da Fehispor conta com a forte adesão de empresas portuguesas, que ronda os 40% dos expositores, dando razão a Enrique Barrasa, quando o director geral de Acção Exterior do Governo da Extremadura afirma que “esta feira já é tanto espanhola como portuguesa. É uma oportunidade de consolidar relações, numa altura em que os dados relativos aos últimos quatro anos dão conta de que o comércio bilateral entre a região da Extremadura e Portugal aumentou a um ritmo de 25%.

“É, de facto, um grande crescimento, com uma percentagem que está muito por cima da taxa de crescimento das relações entre Portugal e o conjunto de Espanha, que se ficou pelos 8%”, assinalou.

Também José Calixto, presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, marcou presença para acentuar a relevância das relações com a vizinha região espanhola, defendendo que a união “sem barreiras” deve ser a palavra de ordem. “O ponto de partida para este caminho pode não ter sido o melhor, mas hoje estamos mais próximos do que nunca”, disse o edil, garantindo que as regiões têm conseguido tirar partido da proximidade. Exemplo? “Os cerca de 10 milhões de euros que gerimos dos dois quadros comunitários significam que há potencial”.

Ainda durante a cerimónia inaugural, eis que surgiu a alusão à Eurocidade formada por Badajoz e Elvas – a mesma que se quer afirmar como a grande cidade entre Lisboa e Madrid – ficando a saber-se que está na forja a intenção de ampliar o projecto a outras cidades fronteiriças. O objectivo passa por estreitar relações entre ambos os países, com intercâmbios culturais e históricos.

Enquanto o alcaide de Badajoz, Francisco Javier Fragoso, anunciou que tenciona dar o nome de Manuel Rui Nabeiro a uma rua da cidade, Miguel Córdoba, director geral da Competitividade e Comércio e Inovação elogiou o empenho dos dois países “em se aproximarem de uma forma que já está tão consolidada. É verdade que ainda temos muito caminho pela frente, mas temos hoje uma situação de privilégio que nos beneficia a todos. Estamos preparados para ir mais longe”, avançou ao “Diário do Sul”.

Já o presidente da Câmara de Elvas, Nuno Mocinha, considerou que a Fehispor está a decorrer num terreno que “propositadamente se confunde com Portugal e Espanha. É isso mesmo que queremos para o futuro, ser apenas uma cidade e uma feira como esta possibilita conjugar esses interesses”.

A feira distribuiu-se por 10 mil metros quadrados de superfície, com um total de 130 empresas, mais 7% do que em 2013, das quais 60% são espanholas e 40% portuguesas.

“É, de facto, um grande crescimento, com uma percentagem que está muito por cima da taxa de crescimento das relações entre Portugal e o conjunto de Espanha, que se ficou pelos 8%”, assinalou.



Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.