acerca el otoño
Diario do Sul
diario jornal

Serviço de Oncologia do Hospital do Espírito Santo de Évora vai para obras

Administração garante que “a saúde dos doentes não é posta em causa”

O Serviço de Oncologia do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) vai ser requalificado, com realização de obras para mudança das instalações do equipamento usado para preparar os medicamentos a administrar em alguns tratamentos de quimioterapia. A intervenção está prevista ocorrer durante a próxima semana e a administração afirma ser uma melhoria do serviço que, em seu entender, contribuirá pa

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redação D.S.

05 Junho 2015

Por força das obras, os tratamentos de alguns utentes deste serviço estão a ser adiados, tendo o “Diário do Sul” apurado que o aviso está a ser feito através dos serviços administrativos. Uma das doentes oncológicas afectadas com esta situação lamenta “ a falta de respeito para com os utentes”, reivindicando uma abordagem mais humanizada. Neste caso concreto, a paciente faz quimioterapia de três em três semanas, tendo o próximo tratamento de quimioterapia estado marcado para dia 11 de Junho, mas agora foi desmarcado e adiado para dia 18 de Junho.

Um outro utente, apesar de afirmar ter ficado satisfeito “por estarem a ser feitas obras no sentido de melhorar a prestação dos serviços”, insiste no facto de “não conseguir deixar de ficar preocupado com a interrupção dos tratamentos”, tendo mesmo falado na possibilidade de “terem sido encontradas alternativas, outros espaços, para a realização das terapêuticas”.

Contactado o Hospital do Espírito Santo de Évora, o gabinete de comunicação afirmou que esta intervenção está a decorrer de acordo com o plano oportunamente definido, tendo confirmado que os tratamentos foram reagendados “de acordo com a situação clínica específica de cada doente, inteiramente compatível com o plano terapêutico individualizado”.

Durante um período de quatro dias úteis, “a intervenção diz respeito à própria unidade de preparação de citostáticos, o que implica a sua inoperacionalidade durante este curto espaço de tempo”.

A mesma fonte hospital garante que “todos os utentes que realizam este tipo de quimioterapia foram avisados sobre esta situação atempadamente”.

Os restantes tratamentos, que não estão especificamente dependentes desta unidade de preparação, “decorrem com toda a normalidade”, assevera.

O hospital salienta ainda que esta obra constitui “mais uma melhoria do Serviço de Oncologia, serviço de referência da região Alentejo, e contribuirá para o aumento da qualidade dos cuidados prestados aos nossos utentes”.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.